Análise: Razer Raiju Ultimate

O novo Razer Raiju Ultimate é a evolução natural do Razer Raiju original que foi lançado mais ou menos à 2 anos atrás. Para quem não conhece o Raiju, este é um comando para PS4 mas que também funciona no PC e que é perfeito para quem preferir o design da Xbox já que oferece um layout mais próximo do que Microsoft introduziu, no entanto mantém os dois analógicos ao mesmo nível como no controlador clássico PlayStation. O hardware pode ter as suas desvantagens mas tal como a Razer nos habituou é realmente muito bom. É um comando de tamanho razoável menor nas laterais e dá uma sensação bastante confortável. Os botões de face são bastante mecânicos e têm aquele clique satisfatório mas continuam a ser bastante confortáveis. Os botões traseiros são também acessíveis e estão no local certo, estando novamente de acordo com os bons gatilhos do design da Xbox.

É uma melhoria relativamente ao modelo anterior, sem revolucionar mas indo na direcção certa e em alguns casos oferecendo coisas que já deviam estar presentes em todos os modelos como ser um comando sem fios.O croma, embora não seja necessário é visualmente apelativo e ajuda a manter a linha que a Razer tanto se orgulha. O D-Pad especialmente, é muito superior ao modelo anterior e um dos melhores de todos os comandos da Razer que já usei. São 4 botões separados o que só por isso o torna muito mais responsivo do que se assim não fosse.

Infelizmente existem algumas coisas que não gostei e pouco têm a ver com o comando em si, mas sim com o que o rodeia já que este é acompanhado por uma aplicação para personalização adicional. O principal problema é que não achei a aplicação intuitiva de todo e felizmente não é crucial para a maioria dos jogadores. No entanto a maioria dos jogadores também não gasta tanto dinheiro num comando porque já deve ter um e quem gasta o dinheiro quer explorar tudo e coisas como a sensibilidade estão mais escondidas do que eu gostaria.

O controlador vem com um D-Pad estilo disco e tops alternativos. Um é mais alto e côncavo e outro é da mesma altura, mas convexo. Poder ter uma escolha a este nível é fenomenal e conheço muita gente que não tem as mesmas preferências que eu no que toca aos analógicos e no que toca ao D-Pad não se trata tanto de uma premência pessoal já que enquanto que os botões são óptimos quando procuramos precisão, o disco é muito mais rápido quando procuramos velocidade em jogos de luta por exemplo. Aquilo que me surpreendeu foi que além de ser muito simples trocar as peças no Raiju, nunca senti que as peças estivessem soltar por exemplo nem nunca me caiu uma peça, algo que eu pensei que ia acontecer ocasionalmente num sistema deste género.

O Razer Raiju Ultimate é muita coisa, mas não é para todos e não é barato. Quando digo que não é para todos não quero dizer que não deveria já que oferece uma experiência um pouco acima do que podemos ter com o comando oficial da PS4, simplesmente não acho que a maioria dos jogadores precise de gastar este dinheiro para jogar Uncharted e uns jogos de FIFA ao fim de semana. No entanto se a PS4 é a vossa segunda casa e são horas e horas a jogar shooters e outros jogos em que a precisão é chave e especialmente se já jogarem a um nível alto, o Razer Raiju Ultimate é uma compra quase imprescindível.

Tiago Roque

Leave A Comment