Análise: Razer Viper Ultimate

Tal como referi na análise ao Mamba Wireless, a linha entre o Deathadder e o Mamba é realmente fina, sendo que a única coisa que os separa é mesmo um ser wireless e o outro não, o que se torna importante porque a Razer não tinha mais nenhum rato wireless neste segmento de preço. Isto é até o Viper Ultimate aparecer. Com um novo sensor, interruptores ópticos, um monte de recursos interessantes e um peso de apenas 74 gramas, a Razer apresenta-nos aqui um dos melhores ratos a preço acessível que já lançou até hoje, pelo menos no papel.

O dispositivo em si é elegante e com um pequeno recorte entre a concha e os botões principais sendo um elemento de design perceptível. O fator RGB vem na forma de um logotipo programável da Razer na parte de trás e no geral é um rato diferente daquilo que a Razer oferece nos outros modelos.O Viper Ultimate vem com um cabo de carregamento que se pode conectar diretamente para continuar a usar enquanto se carrega e uma dock de carregamento que funciona como um extensor do receptor já que há espaço para o dongle USB ser conectado na parte superior. A própria dock tem um bom design e rgb a condizer.

O Viper Ultimate é leve, para qualquer tipo de rato e não apenas para ratos sem fio já que a bateria normalmente faz com que estes sejam um pouco mais pesados. É um design ambidestro de tamanho médio, com botões laterais em ambos os lados, o que significa que pode ser desfrutado totalmente por canhotos e destros. Na parte inferior, encontramos uma pequena escotilha que armazena o receptor USB, juntamente com um botão para ligar e desligar e selector de DPI. O Razer Viper é um rato ambidestro e por isso pode não ser tão ergonómico como alguns jogadores estão habituados, no entanto achei este rato tanto ou mais confortável do que qualquer rato ergonómico que já experimentei e também um dos cliques mais satisfatórios que tive oportunidade de experimentar da Razer.

O revestimento consiste em duas partes, um preto fosco na parte superior da concha e nos botões principais e, nas laterais borracha texturizados. A borracha pode não ser tão duradoura como o plástico duro, mas da minha experiência o rato irá avariar bem mais depressa do que qualquer desgaste material, por isso é realmente preferível utilizar um material mais agradável ao toque. Ambos os botões laterais estão bem posicionados, mas o botões do lado oposto ao polegar podem ser pressionados por engano ocasionalmente.

Como já referi, o clique é particularmente satisfatório, no entanto não posso dizer que seja o mais rápido que já testei. Sendo que não preciso de cliques extremamente rápidos, então a tecnologia que a Razer está a utilizar aqui e que promete ser mais duradoura é uma boa troca. Algo que me deixa um pouco menos empolgado é a roda de scroll. Na minha opinião esta roda de scroll não é de todo uma das melhores que a Razer nos apresenta. É silenciosa e regista bem, no entanto não é precisa, nem nos dá um feedback interessante. Além da roda de scroll não existe nenhuma outra falha no Viper que eu tenha reparado.

Em vez de um cabo, o Viper Ultimate envia sinais para o seu PC através do HyperSpeed ​​Wireless da Razer e isso faz exatamente o que se espera que seja feito. Os produtos sem fio, como todos sabemos, precisam de energia para funcionar e este vem com uma bateria recarregável que pode fornecer energia suficiente para jogar por 70 horas consecutivas, daí que eu tenha dito que não faz qualquer sentido não utilizar a base. O Razer Focus + é o resultado de uma colaboração com os fabricantes de sensores e faz com que este chegue a 20000 DPI, mas além desse aumento inútil na sensibilidade, ele também possui vários recursos realmente agradáveis. O sensor em si é como seria de esperar de um rato para jogos de primeira linha, sem falhas.

O HyperSpeed ​​Wireless da Razer funciona tão bem como qualquer rato com fio. Não há latência perceptível e a conexão não caiu nem uma vez durante o meu teste. No geral, o Viper Ultimate é uma alegria para usar, especialmente graças à dock fantástica e uma bateria que dura tempo suficiente para não ser preciso utilizar o rato ligado em nenhum momento. Com uma ótima forma, baixo peso, sensor sem falhas e uma bateria longa, este é um rato fácil de recomendar e uma excelente prenda de natal.

Tiago Roque

Leave A Comment