Análise: Startup Panic

A quantidade de jogos de gestão no mercado é muito grande. Além disso enquanto que antes tínhamos cidades para gerir, agora temos jogos muito mais focados que vão desde gerir o nosso próprio estúdio de videojogos ou ainda mais abrangentes sobre verdadeiros impérios galáticos. Startup Panic da Algo Rocks e publicado pela tinyBuild é um simulador de gestão empresarial. A história começa com o jogador a trabalhar numa grande empresa onde parecia que éramos explorados até dizer chega. Finalmente atingimos o limite e pedimos a rescisão. Esta é toda a motivação para começar o nosso próprio negócio com a pequena quantidade de economias que guardá-mos. O jogo foca-se nas startups tecnológicas e a nossa personagem começa a desenvolver uma aplicação no seu pequeno quarto.

Em Startup Panic precisamos de selecionar que recursos deseja adicionar ao nosso produto e decidir quanto esforço investiremos em cada uma das três categorias, Tecnologia, Usabilidade e Estética. Dependendo de quantos pontos temos nessas categorias recebemos uma pontuação no final do desenvolvimento. Se essa pontuação for alta o suficiente temos lucro se os usuários usarem seu site, caso contrário apenas ficamos com os custos da manutenção. Se já jogaram Game Dev Tycoon o sistema é relativamente semelhante, mas melhor conseguido já que mistura alguns conceitos mais elaborados como atribuir um tempo de férias e manter os funcionários motivados. Empregos fracassados ​​ou contratos fracassados ​​podem realmente diminuir a motivação.

Para obter lucro temos o nosso produto, mas muitas vezes também iremos contratar trabalho. Esses empregos têm diferentes necessidades, conjuntos de habilidades e recomendações e temos de ter atenção a todos estes requisitos antes de aceitar qualquer um. O nosso trabalho do dia a dia é principalmente gerir a empresa e o trabalho nela feito, enquanto vamos olhando para a árvore de diferentes recursos e requisitos para o nosso produto, revendo alguns aspectos do site à medida que este envelhece e protegendo-o contra piratas. Há uma história dentro do jogo com rivais e competiçaão, mas no geral a jogabilidade vale por ela própria e a história é facilmente deixada para segundo plano. No entanto a história é bem escrita e as personagens até são interessantes, simplesmente não é algo que precisamos de saber para jogar e isso por vezes faz com que nem nos lembremos da história até um novo elemento aparecer.

Startup Panic infelizmente sofre de um problema comum ao género, que é a facilidade com que entramos numa espiral negativa de onde não conseguimos saír. Quando Startup Panic começa a correr mal normalmente continua a correr mal e muito raramente deixa de correr mal até voltar-mos a uma gravação anterior. Este problema é comum e não é algo que se consiga resolver com facilidade sem tornar o jogo demasiado fácil, mas existem formas de o fazer de formas inteligentes. Existem vários finais diferentes em Startup Panic que os jogadores mais dedicados irão gostar de conhecer e explorar, mas requer alguma paciência e abertura à repetição que eu não tenho.

Startup Panic é um jogo de gestão interessante, com uma história que quando lhe prestamos atenção é interessante e com sistemas bem desenvolvidos. Não é um clássico do género mas irá agradar aos fãs.

Tiago Roque

Leave A Comment