Análise The Secret World

Antes de lerem esta análise devem saber que The Secret World não é um MMORPG tradicional, não é World of Warcraft nem Rift, tem muito mais dos jogos de aventura clássicos do que de MMO actual. O combate é importante mas a exploração e a resolução de mistérios é uma das partes fundamentais do jogo. Nem sempre têm acesso a informação detalhada sobre o sitio para onde têm que ir ou realmente o que fazer, e isso é sem duvida refrescante.

The Secret World é um jogo de que vão gostar? Tudo depende dos vossos gostos, não é um jogo para um publico tão abrangente como maior parte dos outros MMOs no mercado. No entanto maior parte dos elementos característicos dos MMORPG estão presentes, existem sistemas e mecânicas  que se poderiam usar para rotular este jogo, mas um exame minucioso revela rapidamente que este estilo de MMO não vai apelar a um mercado de massas no entanto não deixa de ser um jogo fantástico e que inova bastante no género. Se no entanto são o tipo de jogadores que se identifica mais com os jogos mencionados em cima então The Secret World será mais uma desilusão do que diversão.

Além das opções de personalização de personagens limitadas, a introdução às facções e ao mundo de The Secret World é um pouco apressada. Encontram-se num universo paralelo pronto para ser explorado. O cenário é mundo actual, com a pequena diferença que em The Secret World, todas as conspirações, mitos e lendas são verdadeiros.

The Secret World deixa a sensação de que tudo o que está presente no cenário tem um significado. Isso é especialmente importante dado que muitas das quest implicam investigação e a resolução de mistérios através de pequenas pistas. É claro que têm também quest tradicionais como encontrar o item X, apanhar um item X vezes ou matar a criatura X um numero de vezes.  A estrutura das quests é diferente de qualquer outro MMO que já devem ter encontrado antes. Existem vários tipos de missão, e um limite pequeno de quantas quests podem ter aceites de cada um, que pode ser activo a qualquer momento. A tradução disso é que não se pode correr desenfreadamente através de áreas centrais, aceitando missões.

As missões de investigação são desafios para desafiar o cérebro. Algumas missões exigem um repensar da nossa abordagem de um MMO inteiro até à data. Por exemplo num MMORPG tradicional quando não conseguem fazer uma quest depois de algumas tentativas o normal é nivelar mais alguns níveis e comprar novo equipamento. Enquanto que comprar melhor equipamento continua a ser importante a verdade é que não podem subir de nível porque, bem, não existem.

A experiência ainda acumula, mas o seu efeito é para desbloquear mais competências e habilidades. É verdade que alguns destes são mais poderosos, mas ele não tem o mesmo impacto que o nivelamento em outros jogos. As skills são baseadas na arma equipada, se usarem uma caçadeira e trocarem para uma espada por exemplo as vossas skills irão mudar completamente. Utilizar skills tacticamente é a chave para o sucesso em vez de simplesmente distribuir feitiços como noutros jogos.

A nível gráfic, The Secret World é um título cheio de luzes e sombras. A primeira coisa a notar é a secção de arte soberba em todos os níveis. O design inimigo é exemplar e variado, os cenários são muito ornamentados e cheio de detalhes, os efeitos de iluminação são grandes e as texturas são simplesmente de tirar o chapéu. No entanto, os personagens humanos não têm uma modelagem e animação muito brilhante, sem ser má, mas que poderia ser melhorada. Para tudo isso é preciso acrescentar uma série de bugs, tanto visuais como no gameplay, que mancham a experiência de jogo mais do que o desejável. Como muitas quests são complicadas na sua dificuldade de perceber o que é para fazer quando há um bug que nos impede de concluir a quest ficamos sempre na duvida se é um bug ou simplesmente estamos a fazer algo errado.

 

A banda sonora é puramente ambiental, mas sem ele o jogo perde muito, pelo menos quando se trata de missões, dificilmente vão querer desligar o som.  Os efeitos sonoros também são de uma qualidade muito elevada, especialmente os ambientais. Passeando por um parque de estacionamento no escuro com apenas uma lanterna tem o mesmo impacto em termos sonoros que tem visualmente. Há ruídos e grunhidos que criam uma atmosfera de terror incríveis.  As vozes têm também direito a interpretações de luxo que ajudam a dar muito mais força para fazer os personagens e suas personalidades diferentes.

A Funcom tem aqui um jogo de altíssima qualidade e com a ausência de mensalidades consegue impor-se no universo dos MMOs. Não é tão “mainstream” como Guild Wars 2 por exemplo mas é sem duvida um titulo de grande qualidade. A sua atmosfera, história, sistema de progressão do personagem e missões de excelente design cativaram-me completamente. A Funcom já comprovou também que pretende ir actualizando com bastante regularidade o jogo o que é óptimo. Por apenas 30€ podem ter direito a meses de jogo que vão valer a pena.

Pontuação: 9/10

System Requirements

Minimum:

    • OS: Windows XP (SP 1) / Vista (SP 1) / Windows 7 (SP 1)
    • Processor: 2.6 GHZ Intel Core 2 DUO or equivalent AMD CPU
    • Memory: At least 2GB RAM for Windows XP / 3GB Ram for Windows Vista and Windows 7
    • Hard Disk Space: At least 30GB of free space
    • Video Card: nVidia 8800 series 512 VRAM or better/Radeon HD3850 512MB or better
    • DirectX®: 9.0c
    • Sound: DirectX 9.0c compatible sound card

Recommended:

    • OS: Windows 7 64 bit is highly-recommended
    • Processor: Intel Core i5 3.0Ghz or equivalent
    • Memory: 6GB
    • Hard Disk Space: At least 30GB of free space
    • Video Card: Nvidia GTX 560 Ti 1Gb
    • DirectX®: 11.0
    • Sound: DirectX 9.0c compatible sound card

Tiago Roque

Leave A Comment