Análise Bridge Project

Antes de conhecer Bridge Project desconhecia por completo que a construção de pontes era praticamente um género de jogos, com vários títulos já existentes. Aparentemente é um conceito perfeitamente válido e depois de jogar Bridge Project durante algumas horas consigo ver o porquê.

Não se deixem enganar Bridge Project não é um jogo isento de problemas, está até cheio deles, no entanto consegue ser bastante desafiante e divertido. O objectivo do jogo tal como o nome indica é a construção de pontes em vários cenários. Há uma quantidade de desafios diferentes ao longo dos cinco cenários presentes no jogo.O jogo começa bastante simples, com uma curta distancia entre os dois lados da ponte e testes simples mas rapidamente sobe de dificuldade com distancias maiores, poucos pontos de suporte e testes complicados como barcos ou comboios. Enquanto que os barcos obrigam a que a ponte se abra a meio para que esGrtes passem, os comboios são bastante pesados.

O conceito é simples, infelizmente a execução é pobre. Os problemas começam logo da primeira vez que jogam com a interface que é bastante fraca. Apesar de ter apenas uma dúzia de botões a verdade é que metade deles não são minimamente úteis. Na realidade apenas dois o são, aquele que nos permite trocar de material de construção e o que permite começar os testes.

Infelizmente há uma serie de boas funcionalidades que poderiam ter direito a um botão, acabando o jogo por ganhar um nível de dificuldade que não é daquela boa dificuldade que gostaria de ver num jogo deste género. Para dar um exemplo vou falar da primeira vez que tive que fazer uma ponte levadiça.

Ao criarem uma ponte vão inevitavelmente criar uma estrada. A forma como o fazem é igual a como fazem toda a outra estrutura da ponte. Escolhem um material e constroem, no entanto quando constroem na mesma linha que a estrada que já existe o jogo assume que querem construir mais estrada. Tudo isto é aceitável e funciona bem. Há uma grelha à frente do cenário que vos ajuda na construção e sempre que clicam para finalizar uma das peças do vosso desenho o jogo cria um nó.

bridge_shot_04

Ora, para que a ponte levadiça funciona têm que quebrar este nó, infelizmente não há qualquer informação sobre isto, o que no meu caso resultou numa série de tentativas em que os pistões que elevam a ponte a simplesmente rasgavam ao meio. Depois de procurar e procurar e procurar acabei por simplesmente deixar a ponte com um buraco no meio (o que por incrível que pareça funcionou) e prossegui para o nível seguinte. Apenas bastante mais tarde é que descobri que com o clique direito poderia dividir os nós.

A falta de um tutorial é notória e poderia resolver todos estes problemas, no entanto há outro problemas menores que mostram que não houve qualquer pensamento por detrás da interface. No menu inicial quando carregam em carregar jogo por exemplo o jogo simplesmente começa do primeiro nível. Para continuarem realmente o jogo têm que ir às opções carregar o vosso perfil.

Graficamente é um jogo mediano e som segue o mesmo caminho. Não deslumbra mas na verdade também não conheço nenhum jogo do género com melhores gráficos portanto não vou fazer grandes criticas. No entanto vou referir o motor de física, que é bastante gabado no trailer mas que não me impressionou na realidade.


bridge_shot_03

Apesar de as tensões da ponte parecerem estar bem pensados e realistas, a verdade é que o sistema não me parece funcionar a 100%. As tensões são mostradas com cores, sendo o verde uma fraca tensão e o vermelho uma forte tensão. Depois de os testes se iniciarem e uma zona ficar a vermelho esta não volta a trocar de cor depois de a carga ter aliviado, o que não me parece certo. Se a ponte realmente desabar revela-se também que o sistema de física é pobre. Não há realmente uma destruição, apenas um separar de todas as peças que construíram.

Há uma vasta gama de materiais de construção, desde madeira, ferro, aço a vários tipos de cabos de suspensão. Infelizmente encontram-se sempre limitados, sendo essa a fonte do desafio. Uma boa adição ao jogo seria um modo livre que nos deixa-se criar belas pontes, mas talvez num futuro patch. Assim que acabam de criar a ponte começam as fases de teste, há desde carros a tanques e até barcos e terremotos. A minha única queixa a este aspecto é que nem sempre estes testes estão ordenados por dificuldade. É comum por exemplo existir uma fase de autocarros antes de uma de carros. Se a ponte sobreviver aos autocarros porque não ade sobreviver aos carros?

Todos estes problemas acumulam e pesam demasiado no final, prejudicando demasiado Bridge Project para eu o recomendar realmente. No entanto tenho que admitir que este pode ser um jogo divertido durante algum tempo e depois de conhecerem todas as mecânicas de jogo alguns níveis são desafios interessantes. É um jogo para amantes da simulação e de pontes, um nicho de mercado que pela sua especificidade pode simplesmente não concordar comigo, mas sei que maior parte dos jogadores o fará.

5/10

Tiago Roque

Leave A Comment