Análise: Blacksoul: Extended Edition

Esta vai ser uma análise bastante curta, por uma razão muito simples. Blacksoul, seja extended ou não é um jogo horrível. Para o conseguir correr fartei-me de andar às voltas e mesmo depois de conseguir algo parecido com jogar, o resultado não foi o ideal. Talvez quando foi lançado originalmente tenha funcionado, mas grande parte dos jogadores usa Windows 7 ou 8 e o jogo parece não funcionar nesses OSs sem ser numa resolução com pixéis dos tamanho de batatas.black-soul-extended-edition-room

Depois de entrar no jogo, a única coisa parecida com terror são os gráficos horríveis, a câmara que além de ter ângulos difíceis de perceber parece escolher sempre os piores e depois temos os controlos que precisariam de um tutorial só para os perceber. Ah, um tutorial. Parece que quando este jogo foi lançado não se acreditava na sua utilidade pois não existe nenhum. Talvez fazer o jogador sentir-se completamente perdido faça parte da ideia de um jogo de terror para os criadores de Blacksoul.

 

 

Ajuda também existir uma história para dar algum contexto ao jogador, mas pelo que percebi não há nenhuma. Seria de esperar que a extended edition tivesse ao menos uma história. Talvez fique para um futuro DLC. O jogo tenta deixar a ideia de que existe algo maior escondido algures. Talvez seja a história que devia estar no jogo, mas que se calhar tenha ficado no manual. Como este é um exigente monstro gráfico como podem ver pelas imagens, existe um loading considerável entre cada mudança de zona. Algures existe uma arma e inimigos.

Mas depois de morrer uma vez e ter reparado que nem autosave existe sai do jogo com alt+f4 e rapidamente apaguei o jogo. Se ao menos desse para o eliminar da libraria. O porque de jogos tão velhos e tão maus continuam a ser lançados na Steam recentemente vai além da minha compreensão. Ao aparecerem na primeira página empurram jogos bons e recentes para fora da primeira página e ninguém fica a ganhar com isso. A Steam empurra vendas potenciais para a segunda página e os jogadores são obrigados a olhar para verdadeira mediocridade durante dias na primeira página. Neste aspecto nem posso culpar os criadores desta treta, mas sim a editora que publicou isto na Steam e a Valve por o ter deixado.

Tiago Roque

Leave A Comment