Análise: Mercenary Kings

O primeiro impacto com Mercenary Kings não é óptimo, longe disso até. À primeira vista o jogo parece ser bem inferior ao que é na realidade. Não consigo perceber porque é que alguns jogos demoram demasiado a mostrar o seu potencial. Não faz qualquer sentido. Nem todos têm uma paciencia pequena, mas um jogo que demora demasiado a mostrar o seu potencial vai ser certamente criticado por uma boa percentage de criticos que vão tomar a sua decisão baseada na primeira hora de jogo e mais importante que isso, alguns jogadores depois de poucos minutos vão tomar as suas decisões e dar essa opinião aos seus amigos.

Se existe uma parte menos conseguida num qualquer jogo que seja depois da primeira hora e antes do fim. Quem é que se lembra realmente do meio de um jogo? O que fica na memória é o inicio e o fim e Mercenary Kings estraga completamente o inicio. Mercenary Kings é também um aglomerado de boas mecânicas de outros jogos adaptadas a um shooter 2D. Não é preciso pensar muito para dizer que o sistema de customização de armas é parecido ao de Borderlands e o sistema de reload é claramente influenciado por Gears of War. Infelizmente nem todas as mecânicas tornam o jogo melhor.

ps4-game-6925_mid_img1

 

O recarreamento active da arma por exemplo apenas atrasa o jogo e é uma frustração e preocupação que eu não queria misturada neste jogo mas que infelizmente tenho que ter em conta. Daquilo que ninguém se pode queixar é da quantidade de conteúdo. Existem mais de 100 missões, com alguma variedade e com um nível de dificuldade ideal para ir ensinando e treinando o jogador. No entanto há um limite para aquilo que se consegue fazer num jogo deste género e ao fim de algumas horas começa-se a notar alguma repetitividade e monotonia.

Infelizmente é algo que dificilmente seria evitado e a razão pela qual maior parte destes jogos são pequenos. Os níveis iniciais podem fazer um bom trabalho a treinar o jogador, mas tal como já disse não fazem um bom trabalho a mostrar a qualidade do jogo. Estes níveis apostam na resistência do jogador em vez de na sua habilidade. O numero de missões é também muito maior que o numero de níveis. Na altura que conhecemos o nível de cor vamos mais ou menos a meio das missões e isso torna o jogo bem mais aborrecido do que devia. Eu sei que um jogo longo é óptimo e acrescenta valor ao que pagámos, mas Mercenary Kings é claramente demasiado grande para o seu próprio bem.

 

 

Tiago Roque

Leave A Comment