Análise: OlliOlli2: Welcome to Olliwood

O primeiro OlliOlli tornou-se um dos meus jogos de skate favoritos. A simplicidade aliada à dificuldade foram uma surpresa e tornaram este jogo um misto de jogo retro com funcionalidades modernas um clássico. É um jogo que traz uma certa nostalgia, apesar de tudo nele ser contemporaneo.

Welcome to Olliwood não traz consigo nenhuma revolução. No fundo é mais do mesmo, com algumas funcionalidades novas. Aquilo que reparei imediatamente foi o grafismo. Apesar de manter o aspeto retro, este jogo opta por visuais mais detalhados, algo que se nota especialmente nas animações. Enquanto que no original facilmente víamos as 3 ou 4 frames que compunham as animações, na sequela estas são muitas mais fluidas.

OlliOlli 2 - Screen 2

A mecânica de jogo continua a mesma mas com a jogabilidade melhorada que oferece mais liberdade ao jogador, melhorando a resposta dos controlos e melhorando a experiência de jogo. Era difícil imaginar o quanto poderia evoluir a jogabilidade deste jogo quando joguei o original, mas esta sequela vem mostrar isso mesmo.

Para quem não jogou o original, OlliOlli é um jogo arcade de skate old school que decorre a alta velocidade. Temos de controlar a velocidade do nosso Skater para que este tenha força suficiente para evitar os obstáculos, fazer truques no ar e tentar efetuar alguns grinds para manter o multiplicador da pontuação. Esta sequela introduz um novo truque, os Manual, que tornam mais simples manter o multiplicador.

Os níveis continuam curtos e muito desafiantes, talvez mais que os do jogo anterior. Cada um dos níveis mantém e até eleva a qualidade do jogo anterior. O design é brilhante, sendo agora mais fácil ver se temos de aterrar no chão ou fazer um grind. A introdução dos Manuals não tornou o jogo mais simples. Não de todo. É agora desejável conseguir um multiplicador que se mantenha do início ao fim de cada nível e é realmente complicado conjugar grinds e manuals.

olliolli-2-1

Em termos de conteúdo temos mais ou menos o mesmo que no jogo anterior. São cinco cenários cada um com cinco níveis. Os últimos dois cenários podem ser uma verdadeira tortura e fazem-nos desejar que existi-se alguma forma de repetir apenas os últimos dois segundos de jogo por exemplo. Esta era uma mecânica que iria tornar o jogo muito mais acessível e poderia ser implementada numa espécie de easy mode.

Para quem gosta de desafios, OlliOlli 2 é perfeito. Consegue melhorar em todos os aspetos em que o original já era excelente. É um clássico retro moderno que apesar de curto vale muito bem o dinheiro.

Tiago Roque

Leave A Comment