Análise: Logan Lucky

Da visão de Steven Soderbergh, realizador de Ocean’s Eleven e Magic Mike, Logan Lucky é mais um fillme de golpe que tem o seu estilo bem marcado. Contando com um elenco de luxo que conta com Daniel Craig, Channing Tatum e Adam Driver nos papeis principais, Logan Lucky é como já disse um filme de golpe cómico, onde a família Logan comete um golpe e tenta livrar-se da má sorte que assombra a família.

O filme começa com Jimmy Logan, interpretado por Channing Tatum e a sua filha. Cedo começamos a conhecer a ligação destas duas personagens, sendo esta um dos melhores aspectos do filme. As personagens são aliás bem interessantes e elaboradas, bem interpretadas por todos os actores e bem guiadas e exploradas nas cenas do filme. Jimmy trabalha naquilo que no principio parece uma mina, mas logo no início do filme é despedido devido à sua deficiência causa pelo desporto que o faz mancar de uma perna. É no seguimento desta cena que conhecemos a sua ex mulher, o seu actual marido e a irmã dos Logan, interpretada por Riley Keough, também ela uma peça importante do filme.

Depois desta curta apresentação que serve para nos introduzir aos problemas familiares e de dinheiro de Jimmy, conhecemos o seu irmão Clyde, interpretado por Adam Driver. Tal como Jimmy, Clyde tem também uma deficiência, sendo no caso de Clyde a falta de parte do braço que perdeu no Iraque. É durante uma luta de bar com a cómica personagem de Seth MacFarlane que Jimmy diz a palavra Couve-flor a Clyde e se dá inicio às preparações para o assalto. Aparentemente essa palavra tem significado para os dois, sendo uma espécie de código quando os dois eram mais novos e já cometiam alguns crimes juntos.

O filme não abusa de exposição para nos apresentar as suas personagens e os seu problemas. Existem algumas situações que apenas sabemos por conversas entre as personagens, mas nenhuma delas parece forçada. O planeamento do assalto é apresentado à medida que é feito e o próprio filme faz referência a isso. Quem realmente rouba o espectáculo é Daniel Craig com a sua personagem Joe Bang, o perito em explosivos e de longe a personagem mais cómica do filme. Jimmy faz referência a deixar os irmãos de Joe, que também participam no assalto, saberem apenas o necessário e o espectador sente-se exactamente dessa forma no desenrolar do filme.

Obviamente tudo é revelado no final, mas com o filme a guardar os seus segredos e ao pormenor de os motivos de Jimmy para este assalto nunca serem propriamente bem explicados, o twist que o filme tem no ultimo acto funciona de forma brilhante, fazendo com que  o esperador se sinta realmente confuso.

Logan Lucky tem uma boa história e é bem executado, mas é o ritmo do filme que não tem uma única cena desnecessária e a qualidade das suas personagens principais e secundárias e relação destas entre si que o tornam excelente. A relação entre os irmãos está bem capturada no ecrã e a confiança que depositam em cada um, assim como a relação de Jimmy com a filha. E depois temos o ambiente redneck que o torna tão diferente do normal filme de golpe onde se rouba um casino ou algo do género. Aqui o alvo do golpe é um circuito de corridas durante uma corrida de Nascar e isso faz com que toda a preparação e artimanhas sejam únicas a este filme.

 

Tiago Roque

Leave A Comment