Análise: Deadpool 2

Deadpool tornou-se um fenómeno na internet mesmo antes do primeiro filme ser lançado. A personagem conseguiu uma popularidade quase inexplicável, especialmente dado que a única aparição cinematográfica até essa data tinha sido a horrível adaptação a que teve direito em X-Men Origens: Wolverine, onde já tinha sido interpretada por Ryan Reynolds. A popularidade era tanta e atendendo ao que se sabe com um empurrão do próprio Ryan Reynolds um filme dedicado apenas à personagem foi lançado e teve um sucesso gigantesco, abrindo caminho para lucros gigantes para a Fox e filmes de super heróis “Rated R”.

Este segundo filme mantém tudo o que de bom o primeiro nos ofereceu. A violência exagerada está presente em todo o filme, assim como o humor rude e a constante quebra da quarta parede. Mas mais do que tudo isso mantém o seu motor, Ryan Reynolds. Ryan Reynolds é  Deadpool. Dizer que ninguém é insubstituível está longe de ser mentira, especialmente em Hollywood e temos exemplos de personagens icónicas que já passaram por vários actores e em todos eles podíamos dizer que eram insubstituíveis. No entanto Ryan Reynolds enquanto Deadpool apresenta talvez o maior desafio a uma possível substituição porque neste momento os dois misturam-se de uma forma que raramente se consegue encontrar no cinema. O humor de Deadpool é algo em que Ryan Reynolds  tem insistido talvez desde Blade Trinity, que não fosse o pormenor de a personagem ter outro nome, podia perfeitamente ter sido a primeira aparição de Deadpool porque estamos a falar de outra franquia da Marvel. Mas há aspectos que parecem também não ter melhorado tanto como deviam. O orçamento do primeiro Deadpool era baixo, mas o CGI era bastante decente. Aquilo que se pedida de Deadpool 2 era que tivesse um orçamento maior e melhor CGI no geral, mas a realidade está longe disso e certa secções apresentam CGI bastante fraco.

Deadpool 2 continua um pouco depois do final do primeiro filme, com Deadpool a continuar a ser um mercenário por vezes herói que tem mais do que tudo uma paixão enorme por Copycat, mas a vida quase perfeita de Wayde é desfeita por um dos mafiosos que ele perseguia. Com a uma vida cada vez mais vazia e sem sentido consegue apoio do grupo que mais parece desprezar, os X-Men. É durante a sua primeira missão com o grupo, um grupo altamente secundário que pouco mais é do que Colossus e Negasonic Teenage Warhead, os mesmos que o ajudaram no filme anterior, que a verdadeira história do filme começa.

A história principal do filme é a de Russel, um rapaz que sofre de abusos numa instituição para crianças mutantes e que começa a ter dificuldade em controlar os seus poderes dada a raiva que sente. É durante uma destas crises que conhece Deadpool, acabando o encontro com ambos a serem encarcerados numa prisão para mutantes. É também nesta altura que conhecemos Cable, um viajante do tempo que viu a sua família a ser assassinada por uma versão adulta e mais poderosa de Russel. O filme desenrola-se numa história recheada de peripécias e bom humor, especialmente a que envolve a formação da equipa X-Force e o trágico destino de praticamente todos os membros.

Deadpool mantém enquanto personagem a mesma qualidade excelente do primeiro filme e Cable é sem duvida uma personagem fantástica para funcionar enquanto dupla de Deadpool, dada a sua seriedade é um contraste que funciona. Russel por outro lado é uma personagem muito mais irritante do que deveria. Apesar de ser claro que Deadpool se preocupa com ela no filme, o espectador não consegue deixar de a odiar, o que certamente era a ideia do realizador.  A maior surpresa para mim acabou por ser Dominó que rouba todos os momentos em que está presente. O seu poder é completamente ridículo mas a forma como é explorado no filme é brilhante e simplesmente funciona no cinema.

O futuro próximo de Deadpool passa pelo filme X-Force e mais do que isso não sabemos. Se a compra da Fox por parte da Disney se concretizar então torna-se ainda mais difícil de prever, mas pessoalmente gostaria apenas de ver a série continuar. Não há razão nenhuma em termos de continuidade para que não possa fazer parte do MCU neste momento mas dificilmente isso deverá acontecer dessa forma. Depois de dois filmes que elevaram o género de filmes sobre super heróis e um futuro talvez mais incerto que o que se pode pensar Deadpool pode facilmente tornar-se um clássico e mal posso especial por X-Force.

Tiago Roque

Leave A Comment