Análise: Titan Quest

Titan Quest para PC continua a ser um dos meus Dungeon Crawlers favoritos. Muito antes de ter entrado de cabeça na série Diablo que já tinha tentado mas nunca acabado, já tinha jogado Titan Quest de fio a pavio. Sendo um fã de mitologia no geral, sendo essa a principal razão para gostar de história, especialmente da mitologia grega e e as suas histórias este foi um jogo que apesar de tudo me cativou muito mais do que o clássico da Blizzard que revolucionou o género. Titan Quest não se ficava pela mitologia e agregava isso a uma ótima jogabilidade e também contava uma história convincente que continha quase todas as figuras mais importantes da mitologia grega.

Os jogadores começam com origens humildes mas cedo embarcam numa grande aventura pela Grécia, Egito e Ásia. A premissa do jogo gira em torno dos Titãs, uns seres gigantes que os jogadores de God of War devem estar mais do que familiarizados. Os Titãs moldaram o mundo mas foram aprisionados por Zeus. Agora estão de regresso e estão a provocar estragos em toda a terra. Para combater esta ameaça, os deuses estão à procura de um campeão que possa inverter a investida dos Titãs.

A jogabilidade harmoniza-se com as tarefas que o jogador recebe com o enredo a não ser simplesmente lançado contra o jogador através de cutscenes, mas sim vai sendo mostrado à medida que o jogador tem a possibilidade de conhecer os eventos relatados. Titan Quest foi originalmente lançado em 2006 e foi realmente feito muito trabalho para aperfeiçoar a experiência em consolas modernas. Uma edição de aniversário lançada no PC em 2016, que apresentava novas opções de resolução e melhores menus e essa é a base desta versão para PS4.

O jogo funciona agora a 1080p e 60 FPS e isso faz com que o jogo pareça nítido e não parece sofrer muitos problemas técnicos.  O ambiente é lindo e há várias posições de câmera para ajudá-lo a ver mais do mundo a qualquer momento. Infelizmente, a iluminação ainda parece baixa e a personagem principal tem detalhe a menos para a geração atual. Titan Quest apresenta muitas maneiras de criar a personagem. Isso é feito principalmente através das várias classes e itens exclusivos. Enquanto outros jogos prendem o jogador a um estilo de jogo específico, a varidade é a palavra de ordem aqui.

Nem tudo é bom no entanto. A árvore de habilidades é um pouco confusa e poderia ter sido simplificada nesta versão remasterizada. Embora não seja um problema que quebre o jogo, ainda é complicado lidar com isso.  O maior problema com Titan Quest em consolas são os controlos. Mesmo depois de se parar de mover o joystick, o herói continua a andar alguns passos e às vezes perde-se o controle da personagem. Existem alguns outros bugs e no geral a experiência geral do jogo é bastante inferior aquela que tive há muito tempo atrás.

No geral Titan Quest é um ótimo jogo e representa um grande valor, mas se a possibilidade de jogar o jogo no PC existir então essa continua a ser a melhor forma de jogar Titan Quest.

Tiago Roque

Leave A Comment