Análise: Smoke and Sacrifice

Smoke and Sacrifice é um jogo de sobrevivência com um nível de dificuldade elevado onde se as criaturas extremamente hostis não nos matam, então as condições climatéricas, os fantasmas ou o fumo mortal que desce com a noite irá tratar disso. A verdadeira surpresa acaba por ser o facto de tendo tudo isto em consideração, o jogo é realmente divertido. Este não é um daqueles jogos de sobrevivência em mundo aberto em que pouco mais temos que fazer do que explorar e sobreviver, aqui existe uma história de crianças desaparecidas e um culto sombrio para desvendar. O jogador éSachi, uma mãe forçada a desistir do seu filho que, em seguida, acaba num submundo estranho, a tentar encontrar o filho. Ao longo do caminho, há todo um leque de inimigos que temos de combater e tal como disse acima e o nome indica, um fumo que de certa forma é um dos inimigos mais insidiosos. Enquanto o jogador tem uma luz tudo se vai resolvendo mas quando isso não é possível tudo se complica.

Apesar da história forte, a exploração, elaboração e recolha que é fundamental para o género ainda está lá, e o jogador consegue fazer tudo como quiser, ignorando pedidos de ajuda por quanto tempo quiser. O estilo de arte ilustrado e a câmara de cima para baixo significam que é fácil entender todos os pequenos detalhes e navegar pelo mapa sem muita dificuldade. O flow do jogo passa muito por colher plantas e partes de animais, aprendendo novas receitas e criar novos itens. Se estivermos presos, geralmente é porque temos de encontrar alguém que tenha algum conselho importante para nos dar e sem o qual é quase impossível progredir.

O combate é bastante complicar, e apesar de o jogador poder aumentar as suas chances criando uma série de armas, nunca se sentirá na posse de um grande poder que torne o jogo muito acessível. Itens essenciais para certos inimigos por exemplo, apesar de serem realmente essenciais e eficazes são limitados em tempo ou utilizações, por isso o jogo nunca deixa o jogador confortável. Os limites de inventário e a mecânica de degradação dos itens começaram a ser um pouco frustrantes com o tempo, porque chega a uma altura em que nada é realmente novidade e sabemos exactamente o que fazer, mas fazer essas tarefas torna-se uma tarefa mecânica que começa a ser quase um trabalho que podia ser feito com algum melhor automatismo.

Isso significa que o jogador nunca pode realmente aproveitar o arsenal peculiar, porque tudo acaba ou não cabe no inventário, sendo tudo no jogo uma corrida ou gestão de espaço.

Mas estas são pequenas questões em horas e horas de um jogo bastante competente em todos os seus aspectos. Mesmo os pontos onde Smoke and Sacrifice não é realmente bom não são mãos, apenas aspectos menos conseguidos num jogo que tem tanto de bom para oferecer. O mundo consegue constantemente surpreender, assustar e encantar e a atmosfera do jogo é realmente envolvente. Para quem gosta do género o jogo consegue ser ainda melhor uma vez que não revolucionando consegue realmente oferecer algo um pouco diferente, mas mais do que tudo uma experiência bem mais completa e complexa que a maioria dos jogos do género que vieram antes.

Tiago Roque

Leave A Comment