Análise: Screencheat Unplugged

O tempo dos jogos multijogador em modo local  para vários jogadores acabou ou está muito próximo disso, sendo muito poucos os jogos a oferecer este tipo de modos atualmente. É aí que o estúdio Samurai Punk entra em cena, pegando na ideia daqueles batoteiros que nessa altura olhavam para a parte do ecrã dos adversários e criando um jogo que  se inspirara aí chamado Screencheat, onde a única maneira de ganhar é precisamente olhar para as telas dos outros jogadores.

Screencheat Unplugged é mais do que tudo um jogo divertido. Todos os jogadores são invisíveis, portanto  a única maneira de encontrá-los é olhar para o seu lado do ecrã. As batalhas são rápidas e apenas um tiro confirma a morte. É um formula rápida e viciante que faz com que seja fácil fazer vários jogos seguidos. Isto não quer no entanto dizer que este seja um jogo para todos.  Apesar de muito divertido é muito rápido e realmente complicado de acompanhar para muitos jogadores porque basicamente quando paramos para pensar acabamos mortos. Isto faz com que a curva de aprendizagem do jogo seja considerável.

Os criadores do jogo fazem o melhor para garantir que o jogo seja acessível com cada nível dividido em quatro seções com quatro cores diferentes que facilita a visualização no ecrã do oponente e a sua localização. Da mesma forma, há pequenas linhas que mostram onde as pessoas se movem e, quando elas disparam também se tornam muito mais visíveis. Estes pequenos pormenores ajudam bastante a tornar o jogo ainda mais intuitivo e baseado nos reflexos dos jogadores.

O jogo tem vários modos para escolher e desbloquear o que é muito bem vindo porque mesmo sendo um jogo muito divertido no seu modo principal, a realidade é que a variedade é essencial para manter fresco o jogo. No topo dos modos, há também muitos níveis, armas e skins para desbloquear. Os níveis são todos variados em termos de  layouts e são muito diferentes uns dos outros As armas são criativas  mas não são propriamente um exemplo em termos de equilibrio.

Mas este conteúdo tem um preço, que é não estar todo disponível no início do jogo. O jogo começa com um mapa, uma arma, um modo e algumas skins e tudo o resto tem de ser desbloqueado. Isto já não consigo aplaudir porque basicamente os jogadores estão a pagar por conteúdo que podem nunca chegar a desbloquear e isso não é propriamente uma boa ideia. Algum conteúdo extra que recompense o jogador é óptimo mas tudo é exagerado.

Esta versão Unplugged que chega agora à Switch traz consigo ainda mais conteúdo e novidades que realçam o bom sentido de humor do jogo. Se tiverem paciencia para desbloquear o conteúdo e não tiverem problemas com a mecânica central este é um jogo super divertido para jgoarem com amigos.

Tiago Roque

Leave A Comment