Análise: Yo-Kai Watch 3

A série Yo-Kai Watch continua a ser uma das melhores sagas da Nintendo e seguramente uma das que vai começar a estar em todas as consolas da Nintendo daqui para a frente. Apesar de nunca ter atingido até agora os patamares de Pokemon em termos de vendas, em termos de qualidade sempre esteve par a par e agora que se prepara para se despedir da 3DS a série chega-nos com aquele que é provavelmente o seu melhor jogo.

Yo-Kai Watch 3 combina as três versões lançadas no Japão em 2016 e reúne todos os exclusivos num único pacote, além de adicionar um modo especial. Se já jogaram algum dos jogos anteriores, sabem o que podem esperar, mas a fórmula não é muito diferente da de um jogo Pokémon, sendo uma mistura básica de exploração, batalhas automatizadas e minijogos, tudo ebmbrulhado numa estética familiar e cativante que o torna tão popular entre jogadores de todas as idades. O jogador irá explorar uma variedade de novos locais de uma perspectiva top-down, colecionando os monstros e aumentando o nível deles. Tudo isto faz com que Yo-Kai Watch seja uma série ideal para os fãs de Pokémon que já terminaram o Let’s Go por exemplo.

Yo-Kai Watch 3 tem mais do que tudo um novo sistema de batalha que faz com que o combate, quando iniciado, apesar de ser ainda automatizado, onde seu esquadrão de Yo-Kai desencadeará ataques básicos à sua vontade até que eles ou os inimigos tombem, agora existe uma grelha na parte inferior da tela que existe que o Yo-Kai esteja alinhado para enfrentar um adversário em cada canal da grade e essas formações têm um impacto grande no desfecho da batalha. Ter dois Yo-Kai amigáveis ​​próximos um ao outro irá ligá-los, o que irá melhorar as suas estatísticas e torná-los mais fortes e empilhar um atrás do outro não fornecerá qualquer tipo de aumento, mas permitirá que se proteja o monstro nas costas contra danos, algo que é comum em quase todos os RPGs por turnos. É uma mecânica que adiciona alguma profundidade à jogabilidade e é bem vinda.

A Level-5 incluiu também muitos minijogos extras e outras maneiras de manter o jogador entretido ao longo do jogo. Agora podemos entrar num modo de pesquisa quando um Yo-Kaiestiver por perto para disparar rajadas de energia para drenar uma barra de saúde para zero o que é uma forma ganhar uma vantagem na batalha que vem a seguir. O jogo também introduz um segundo herói, Hailey-Anne, uma rapariga que se depara com um Yo-Kai no espaço. Depois de encontrar o seu próprio Yo-Kai Watch, forma uma espécie de dupla detective e o jogador pode alternar entre esta história e a da do protagonista original.

O modelo de exploração do mundo superior permanece praticamente intacto, e a mesma repetição no design de missão torna-se evidente e apesar da escrita ser boa o jogador ainda está a correr de uma área para outra, lutando contra Yo-Kai e recolher itens. Mas isto é algo a que não se pode fugir muito nestes jogos e o mesmo problema acontece com Pokémon. Felizmente existem tantas atividades extra que dificilmente ficamos aborrecidos. Há mini-jogos em todos os cantos e o jogo faz um esforço tremendo em manter o jogador entretido constantemente.

Com o Yo-Kai Watch 4 quase pronto para a Switch, a série despede-se em grande da 3DS e apesar de mostrar alguns sinais de estagrnação em termos de inovação mas que não impedem que esta seja o melhor que a série já trouxe.

Tiago Roque

Leave A Comment