Análise: FutureGrind

FutureGrind é o novo lançamento da Milkbag Games acabado de chegar à Steam. O jogo passa-se numa terra futurista, onde um espetáculo de acrobacias de alta velocidade e adrenalina se tornou o evento desportivo mais popular do mundo. A premissa de FutureGrind é incrivelmente simples, já que o jogador apenas tem de sobreviver à corrida e obter a maior pontuação possível.

O jogo consegue no entanto ser incrivelmente viciante e bem executado. A jogabilidade é uma mistura entre  Trials, OlliOlli e jogos de corridas arcade. O jogo tem muito do Tony Hawks Pro Skater original já que há uma espécie de percurso que vamos conhecendo que nos permite atingir pontuações altas. O veículo no entanto é uma espécie de mota com duas rodas, uma posicionada acima da cabeça e a outra abaixo, que corre ao longo de uma pista . A pista está dividida em locais chave e composta de cores diferentes e o jogador tem que combinar as cores das suas rodas com os trilhos e as combinações podem mudar rapidamente enquanto percorremos as pistas a velocidades que não estão muito longe da velocidade da  luz certamente.

À medida que se avança nos vários níveis criados de raiz, há vários colecionáveis ​​e power-ups que aparecem que  mudam a maneira como se joga. Habilidade, tempo e precisão são necessários para ter sucesso e, muitas vezes, torna-se um ato de equilíbrio, especialmente se a mota se tornar muito pesada. A chave para atingir as pontuações mais altas é em truques, flips e combos que temos de dominar.

FutureGrind é uma perfeito para sessões de jogo pequenas já que é realmente fácil de começar o jogo, jogar um pouco seja a solo ou não e sair em menos de 15 minutos. As pistas são variadas, incrivelmente divertidas e o design é quase perfeito. As cores escolhidas são bastante brilhantes e vibrantes, o que ajuda muito a descobrir  por onde devemos ir o que devemos evitar mesmo em altas velocidades. Conforme se avança, iremos desbloqueando novas motas, cada uma com os seus próprios estilos de jogo e configurações. Há também uma série de níveis ocultos que podem ser encontrados seguindo as mensagens deixadas por um hacker.

A banda sonora é excepcional também, dando a energia necessária para jogar e consegue até dar a impressão de estar sincronizado com a musica, apesar de não acreditar realmente que isso seja verdade. O resultado final é o somatório de todas as suas excelentes componentes, que criam um jogo que consegue estar ao lado dos grandes exemplos do género, sejam recentes ou clássicos.

 

Tiago Roque

Leave A Comment