Análise: Mothership

Mothership é um jogo sobre armas grandes e é no fundo uma espécie de sequela espiritual de  Tower of Guns, um jogo que tinha muitos méritos mas uma grande quantidade de pequenos problemas. É um FPS roguelike tal como Tower of Guns sobre invadir naves alienígenas processualmente geradas, acumulando armas e armaduras que nos tornam mais resistentes e ágeis. Mothership  é um jogo mais complexo que o seu antecessor mas nem sempre bem implementado. Os seus sistemas são sem dúvida mais complexos que o jogo anterior mas por vezes atrapalham-se uns aos outros.

A tarefa do jogador é embarcar em naves espaciais que nos invadiram e disparar em coisas até encontrar um grande botão vermelho de auto-destruição. Existe algum humor bem conseguimos no jogo mas o ponto fundamental do jogo é a jogabilidade e as armas personalizadas, com as quais o jogador vai passar o seu tempo, seja a combater, disparando contra os vários inimigos e naves do jogo ou a tentar melhorar todos os aspectos das armas graças à enorme quantidade de possibilidades do jogo.

Visualmente o jogo é também interessante misturando ambientes grandes, em tons roxos, com almofadas em toda parte e onde a gravidade nem sempre é uma regra. Nestas zonas maiores, enxames de balas inimigas de grandes dimensões são claros e fáceis de atravessar. O principal problema de Mothergunship é a sua economia. O jogador pode escolher algumas peças de armas para assumir a maioria das missões e comprará a maioria das armas em lojas usando moedas largadas pelos inimigos. O problema é que as moedas são descartadas aleatoriamente e as aparições nas lojas também. Não é incomum fazer várias lutas com pouco ou nenhum pagamento e outras em que ganhamos demasiado sem razão aparente.

Os trailers do jogo mostram armas comicamente estranhas e com preenchimento de tela, mas estas armas não são muito eficazes no jogo e acabam por usar outras coisas bem mais aborrecidas para poder ter sucesso. A energia de recarga das armas está separada para armas esquerdas e direitas, mas a capacidade máxima só pode razoavelmente suportar de quatro a cinco de cada e dois a três na maioria dos casos. Isso faz com que as armas absurdas dos trailers e brutais para screenshots sejam inúteis pois permitem disparar durante 1 ou 2 segundos.

Estes problemas são atenuados de alguma forma no modo Infinito, que desbloqueia algumas missões na história principal, mas é realmente pena que o jogo não abuse daquilo em que é realmente bom. Tal como está agora, Mothership tem muitos elementos agradáveis ​​que às vezes se encaixam mas normalmente acaba por ficar aquém do seu potencial.

Tiago Roque

Leave A Comment