Análise: The Midnight Sanctuary

The Midnight Sanctuary é um jogo muito, muito estranho.  A história entra começa a soar a algo de outra dimensão na primeira meia hora e nunca desiste, ficando mais estranho a cada hora que passa. Quando o jogo acaba depois de duas horas o jogo consegue o feito de deixar o jogador com mais perguntas do que respostas.

O jogo é um daqueles títulos que são difíceis de olhar com as lentes de um jogador, uma vez que é muito limitado em termos de interactividade, sendo muito mais uma visual novel do que um jogo. O papel do jogador em The Midnight Sanctuary é o de uma pessoa sem nome, que age como guia para Hamamoru, que está a visitar a cidade de Daiusu.

Esta é a premissa inicial, mas como qualquer visual novel há muita coisa a acontecer à volta e muitas personagens com os seus objectivos pessoais e ocultos. O jogador não tem qualquer influência sobre esses eventos, no entanto, e embora este tipo de visual novels digitais continuem a aparecer na Steam e a serem marcadas como jogos, a realidade é que o jogador pouco mais pode fazer do que avançar diálogos e escolher que parte da história quer “jogar”.

Um mapa no jogo aparece entre as cenas para que se seleccione o próximo local a visitar, onde depois irá observar algo a acontecer e depois volta a repetir tudo isso. No entanto, é injusto marcar o jogo por falta de interatividade já que esse é o objectivo de uma visual novel e algumas podem inovar aqui e ali em termos de interactividade, mas a base do género é esta.

Visualmente The Midnight Sanctuary está bastante bem conseguido com modelos de pouca resolução coloridos que dão um aspecto bastante interessante, se bem que longe de realista ao jogo. Tudo se encaixa no cenário estranho e desconfortável em que estamos, se bem que de forma até surpreendente e o primeiro impacto que tive com o jogo não foi propriamente bom.

A história envolve uma caça ao tesouro, religião, espíritos e outros elementos do oculto assim como um culto. Com uma história que não irá agradar a todos mas tendo em conta o publico alvo muito especifico este é o tipo de história de que irão gostar.

The Midnight Sanctuary não vai criar novos fãs do género mas se não se importarem com uma total falta de interação, então há uma boa história envolvente para aproveitar.

Tiago Roque

Leave A Comment