Análise: Firewall Zero Hour

Os jogos do PSVR não têm a tendencia de serem impressioantes. Depois de experimentar e ficar maravilhado com a tecnologia entramos numa fase em que vemos os problemas que esta ainda tem, especialmente na resolução e efeito nausea em alguns movimentos. Felizmente existem jogos como Firewall Zero Hour para nos ajudar a manter a fé na tecnologia. Firewall Zero Hour cumpre todas as suas promessas e é bem mais do que qualquer campanha publicitária, é um jogo muito bem conseguido que não tenta adaptar ideias pré concebidas para a realidade virtual, mas sim tenta tirar partido de tudo o que a tecnologia VR traz para fortalecer um género.

Apesar de tudo isto Firewall Zero Hour irá parecer familiar a toda a gente que tenha jogado por exemplo, Rainbow Six Siege já que a ideia por trás do modo de jogo principal de Firewall Zero Hour é muito semelhante. Em termos de modos competitivos, duas equipas iguais de quatro jogadores são colocadas uma contra a outra sem respawns. As partidas têm a duração de cinco minutos e a equipe de Ataque precisa hackear pontos de acesso enquanto que a outra equipa tem de impedir que tal aconteça como é de prever. Parece simples mas, na prática, não é apenas um dos jogos ação mais competentes no que toca a RV mas também um dos melhores do género para PS4, seja na plataforma PSVR ou não.

Existe um modo de treino, mas como nem tudo é perfeito, este baseia-se em pouco mais do que combinações baseadas em ondas contra um fluxo interminável de bots. Conforme se sobe de nível, fica mais difícil, mas facilmente nos cansamos do que nos é apresentado aqui. O foco está no PvP e é aí que o jogo vale o seu dinheiro. O impacto que a RV como plataforma tem no género não pode ser posto de lado e qualquer jogador que já tenha pegado num outro shooter tenta abrigar-se e aplicar uma jogabilidade mais tática, mas aqui essa visão está realizada quase na perfeição. Se quisermos disparar de uma esquina podemos fazê-lo de uma forma muito mais realista e imersiva do que num jogo que não seja em RV. Podemos ajustar a mira com pequenos ajustes no pulso, ajustar o ângulo do braço, mover o ombro ou apenas mover a cabeça para alinhar a mira e se aliarmos isto a um aim controller tudo fica melhor. Podemos jogar Firewall Zero Hour com apenas o DualShock 4, mas perdemos a imersão de segurar um periférico em forma de arma dentro do jogo. Em termos de funcionamento é exactamente igual mas nem que seja psicologicamente parece existir uma diferença enorme.

Mesmo outros jogos que tentaram fazer o mesmo no PC com melhor hardware falharam em tornar esses jogos tão polidos e interessantes como este Firewall Zero Hour. Esta equipe de veteranos do setor trouxe toda a sua experiência para a frente de combate e oferece algo que é uma evolução de todas as experiências mais indie que foram saindo para o PSVR. Infelizmente já todos conseguimos ver que o hardware do PSVR é um pouco limitado e foram necessárias fazer algumas concessões, como por exemplo no aspecto gráfico e taxa de refrescamento. Além disso a gama de movimentos do jogador também não é tão ampla como poderia ser com um Vive ou Oculous Rift. Uma das principais áreas em que o Firewall Zero Hour se destaca em que outros shooters de RV é na progressão. Tudo o que se faz no jogo, seja no modo PvP ou até mesmo em missões Solo Training, ganha XP e a moeda do jogo. Ao subir de nível, desbloqueamos o acesso a novas armas e habilidades e muito mais.

Todos os nove mapas são fantásticos também com personalidades próprias e muitas variações. Infelizmente o jogo não tem o número de jogadores de CS:GO por exemplo e por vezes temos que esperar alguns minutos para saltar para o jogo. Infelizmente os sucessivos loadings também não ajudam e pessoalmente acho que todos os estúdios sem pouco nome deviam tentar criar sistemas que ajudem os jogadores a manterem-se a jogar quando finalmente encontram um grupo. Mas para aquilo que tenta ser Firewall Zero Hour desafia as probabilidades, oferecendo um shooter multiplayer muito competente e muito provavelmente o melhor jogo de realidade virtual neste momento na PS4.

Tiago Roque

Leave A Comment