Análise: Neon Abyss

 

Neon Abyss é portanto um roguelite com muitos elementos de bullet hell. É bastante divertido de jogar e desafiante. Temos de confiar tanto na sorte como na nossa habilidade de jogar, mas é a habilidade que é de longe mais determinante para ter sucesso. Comparado com outros jogos do mesmo género não é fácil dizer se Neon Abyss é realmente melhor do que muitos dos jogos que foram sendo lançados nos últimos anos, mas acho que posso afirmar que é mais equilibrado. Não existe nada aqui que o jogo faça mal, mesmo que sacrifique um pouco na originalidade da jogabilidade.

Cada jogo de Neon Abyss é diferente. Isto pode não parecer muito original num roguelite mas convém sempre saliantar que todo o género assenta na aleatoriedade dos níveis e Neon Abyss não inventa nesse aspeto. Na realidade Neon Abyss não inventa em praticamente nada e não posso deixar de concordar com os seus criadores já que todas as escolhas feitas foram as ideais. Temos aqui praticamente tudo o que fez de outros jogos do género verdadeiras referências e não há propriamente um aspeto em que considere que quaisquer alterações tenham sido para pior. Cada sala é aleatória, mas parece fazer parte do mesmo mundo e obece sempre a uma série de regras não escritas. Infelizmente as regras são facilmente assimiladas e ao fim de pouco tempo já sabemos mais ou menos o que esperar em cada sala.

Visualmente Neon Abyss consegue também sobressair, especialmente para quem gostar de cores vibrantes de néon. Optando por um estilo bastante próprio que lhe dá bastante personalidade Neon Abyss é um dos poucos jogos indie que me passou pelas mãos que não parece igual a todos os outros jogos em pixel art que vai saindo pela Steam. A banda sonora também é bastante agradável, dando aquela dose de energia extra que juntamente ao grafismo colorido nos faz sentir como se tivessemos tomado uma boa dose de ácidos. Os itens também são visualmente bastante distintos e além de isso nos ajudar a ir decorando alguns pelo caminho, o que nos ajuda a saber o que fazem mesmo antes de o jogo nos dizer, também ajuda a manter o jogo fresco e a parecer que há sempre algo de novo no jogo.

Além das armas que a nossa personagem utiliza, Neon Abyss tem ainda um grande arsenal de outros itens como explosivos. As granadas podem ser utilizadas para rebentar algumas paredes para aceder a chaves, cristais ou moedas que estão normalmente em baús atrás das paredes. As chaves podem ser utilizadas para passar um dos vários tipos de portas do jogo. Este é um aspeto bem conseguido do jogo, dando ao jogador uma opção sempre que vê uma das portas coloridas. Algumas destas vão dar a lojas de itens ou a uma sala com ondas de inimigos. The Binding of Isaac também funciona da mesma forma mas gostei bastante da implementação de Neon Abyss. Algumas portas como já referi abrem-se com chaves, enquanto que outras se abrem com cristais ou moedas e temos sempre a hipotese de não entrar numa porta. Porque razão havemos de gastar cristais numa porta para uma loja se não tivermos moedas para gastar por exemplo?

Além de tudo isto o jogo tem ainda ovos espalhados pelo cenário. Estes ovos podem conter seguidores, muito ao estilo de The Binding of Isaac novamente, mas a ideia dos ovos é realmente interessante. Podemos encontrar vários ovos numa das salas e quando eliminamos todos os inimigos de uma zona um ovo eclode. Podemos ter seguidos de vários tipos, desde os que recolhem os itens por nós aos que infligem dano extra por exemplo.

Mesmo que um jogo não acabe em vitória temos um bom incentivo para fazer boa figura na mesma, já que o jogo nos recompensa com uns itens especiais que podemos trocar por upgrades permanentes. Isto mantém o jogo interessante e dá-nos alguma progressão no jogo, algo que nem sempre acontece em jogos do género roguelite.

No que toca à jogabilidade pura e dura Neon Abyss tem tudo a funcionar perfeitamente. Podemos achar que no início estamos a disparar pouco mais do que ervilhas, mas com uma arma nova aqui e um upgrade aqui e ali a nossa arma transforma-se num verdadeiro canhão demolidor e quando juntamos uma série de seguidores e explosivos o jogo torna-se super divertido. O design dos inimigos é também fantástico, especialmente dos bosses que são super originais, no entanto começamos a ver alguns padrões ao longo do tempo que nos deixam a pensar que não existem muitos bosses, mas o mesmo com skins diferentes.

Neon Abyss pode não ser o jogo mais original do mundo, mas é culminar de um género. Junta praticamente todas as boas ideias e inovações que foram sendo feitas num jogo e se são fãs irão adorar. Caso não o sejam também não vejo um jogo melhor para ficarem a conhecer o género.

Tiago Roque

Leave A Comment