Análise: Kirby Fighters 2

Kirby Fighters 2 é um novo jogo de luta lançado de forma apenas digital e de forma até bastante furtiva e sequela, se assim o podermos chamar, do modo Kirby Fighters lançado como parte de Kirby: Triple Deluxe para a 3DS em 2014. Dada a falta de entusiasmo da Nintendo em promover o jogo era de esperar que Kirby Fighters 2 fosse um jogo bastante fraco e que a Nintendo estava mais à espera que os jogadores se esquecessem da sua existência do que prontos a saltar a bordo. Mas a realidade é que Kirby Fighters 2 é um jogo de luta bastante competente e lançado a um preço muito apelativo. Imaginem um Smash Bros. apenas com  personagens e cenários de Kirby e vão ter uma ideia do que Kirby Fighters 2 é. Há um total de 22 lutadores jogáveis, mas isto equivale a apenas seis personagens diferentes já que 17 delas são apenas habilidades diferentes.

 

Ter 17 personagens diferentes mas baseadas em Kirby levar os jogadores a pensar Kirby Fighters 2 não tem grande profundidade, mas a realidade é que cada uma das diferentes habilidades tem seu próprio conjunto de movimentos exclusivo e como consequência estilos de combate completamente diferentes. O Sword Kirby por exemplo exige um estilo de luta mais próximo do oponente, mas o Wrestler Kirby concentra-se em agarrar e tentar utilizar um combo. A diversidade dos conjuntos de movimentos demoram muito tempo a dominar e se tentarem jogar o modo história de cada um deles há aqui muito para ocupar o vosso tempo. A lista de lutadores pode ser visualmente semelhante mas os cenários são visualmente varidades. Existem 19 no total e vão desde campos de batalha razoavelmente normais a níveis mais elaborados com perigos espalhados.

É praticamente impossível falar de Kirby Fighters 2 e não mencionar Smash Bros, já que este não é apenas semelhante a Smash Bros, é praticamente um spin-off. Os criadores provavelmente receberam acesso a alguma forma do motor do Smash Bros. e construíram este jogo com a mesma base. Muitos elementos do jogo têm uma sensação praticamente igual ao popular brawler também da Nintendo e até alguns elementos visuais são altamente inspirados pela mesma fonte. Isso não quer dizer que Kirby Fighters 2 não tenha uma identidade própria. O modo História, que é o modo principal do jogo e pode potencialmente manter o jogador ocupado por um longo tempo dependendo do quão gostarem de completar tudo o que o jogo tem para oferecer, é muito próprio desde jogo. A ideia geral é que escolhemos dois lutadores e lutamos para subir uma torre na tentativa de chegar ao topo e lutar contra a dupla de Meta Knight e King Dedede.

Existem cinco capítulos diferentes no modo História, e cada um se desenrola na torre de baixo e subimos até uma certa altura. Cada andar consiste numa única batalha de uma de três formas, uma luta 2 contra 1, uma luta 2 contra 2 ou uma batalha contra um boss. Ocasionalmente temos variações, com perigos no cenário que até se podem se mover com o dobro da velocidade ou o jogo pode gerar apenas um determinado tipo de arma. O que torna este modo interessante é que existe na verdade uma grande dose de progressão de personagem que requer uma combinação de estratégia e sorte . Após cada nível podemos recuperar um pouco de vida e é apresentada um ecrã que permite escolher entre três itens escolhidos aleatoriamente e temos que escolher um deles para ajudar a melhorar o nosso lutador. Isto dá ao jogo até um pouco de roguelite realmente interessante.

Há uma grande variedade de itens entre cada um dos níveis e todos ajudam de maneiras diferentes. Alguns são buffs permanentes que podem aumentar o nosso poder de ataque ou melhorar o nível de habilidade de IA do nosso aliado e sendo permanentes duram toda a duração da campanha. Outros funcionam apenas em situações específicas, como contra os combates contra bosses, enquanto que outros são consumidos no momento como para recuperar vida. É um conceito bastante simples mas realmente atraente, especialmente quando alcançamos a torre final de 50 andares, o que pode levar uma hora ou mais. É necessária habilidade para chegar ao fim mas também uma boa dose de sorte. Enquanto outros capítulos permitem que se tente quantas vezes quisermos quando perdemos, a batida final de 50 andares dá-nos apenas três vidas.

Infelizmente não há muito mais além deste modo. Existe um modo “Single-Handed” desbloqueável, onde escolhemos apenas um personagem em vez de um par e um modo multijogador online também está disponível mas não há muita gente a jogar. Além disso, há um modo de batalha no estilo Super Smash  onde temos lutas únicas com até quatro jogadores. Mas  para o preço isto é suficiente. Podemos ganhar medalhas para cada personagem quando terminamos todas as cinco torres do modo História com elas e se gostarem de completar tudo aqui irão ocupar muito tempo. O sistema de Fighter Points, as novas personagens que desbloqueamos, assim como itens estéticos para certas personagens para vestirem irão também ocupar muito tempo.

Kirby Fighters 2 pode não agradar a todos. Não é um concorrente para Super Smash Bros. mas se são fãs desse jogo e já gastaram horas e horas com ele, então podem dar uma chance a Kirby Fighters 2.

Tiago Roque

Leave A Comment