Antevisão: Democracy 4

15 anos depois do primeiro Democracy ver a luz do dia, chegou o quarto e até agora melhor jogo da série. O terceiro jogo da série chegou a ser analisado e podem ler um pouco sobre o jogo anterior aqui. Ao contrário da maioria dos jogos do género, Democracy é muito menos virado para o controlo direto e muito mais sobre controlo indireto por meio de política, decisões e votos num jogo em que lutamos para manter o governo e a sociedade a funcionar tentando não sermos derrotados nas eleições seguintes. Democracy 4 continua essa tendência, mantendo todos os bons argumentos do seu antecessor, enquanto pega alguns sistemas das expansões e atualiza o conteúdo geral para se adequar aos tempos modernos. Com a política a ter mudado muito desde o lançamento do jogo original, com Trump no poder, muitas notícias falsas e uma máquina de propaganda completamente nova, Demoracy 4 encaixa que nem uma luva neste mundo novo.

Democracy 4 decorre por turnos, conforme o jogador usa o poder político para afetar as políticas e gerar efeitos em toda a sociedade. Os jogos deste género naturalmente extremamente complexos, apresentando centenas de tópicos,  abrangendo praticamente todas as facetas da sociedade, por isso a UI só pode ajudar até um certo ponto, já que algures no tempo por muito esforço que os criadores façam a complexidade começa a vir ao de cima. O resultado final é uma imensa combinação de fatores e uma enorme reação em cadeia de efeitos para cada uma das decisões do jogador. O gabinete e ministros também têm simpatias específicas em relação a certos dados demográficos, o que limita a liberdade que temos para os influênciar numa ou outra decisão. Felizmente, toda essa complexidade é fácil de gerenciar graças à interface de Democracy 4. As coisas boas têm a cor verde e as coisas más têm a cor vermelha, permitindo que consigamos ver rapidamente o que é um problema e o que é uma vantagem. Passando o rato sobre qualquer ícone irá também apresentar informação marcada por cores, o que ajuda muito a decifrar a informação.

 
Existem muitos menus e gráficos em todos os lugares que permitem traçar os acontecimentos de intenção dos eleitores e mudanças de política. O jogo é muito baseado em dados e oferece ao jogador todas as ferramentas para monitorar esses dados antes, durante e depois de tomar suas decisões. O jogo faz também um excelente trabalho em replicar cada país na sua atualidade e cada um está repleto de estatísticas, políticas e problemas diferentes que refletem o que se passa atualmente. Democracy 4 pode ser um jogo um pouco estranho e não irá ser um jogo que irá envelhecer muito bem porque se baseia muito na situação em que foi lançado e provavelmente não permanecerá relevante daqui a alguns anos quando o cenário político mudar mais uma vez.
Tecnicamente é o jogo que corre quase sempre sem problemas. É um jogo muito leve mesmo em computadores mais simples e também não há muito para falhar em termos de jogabilidade já que é a UI que é o foco do jogo. A UI é como já referi intuitiva e agradável e a pouca arte que o jogo tem também faz um bom serviço, assim como a banda sonora.

Democracy 4 é o tipo único de jogo que visa um nicho de estratégia, dando aos jogadores o controle político dos governos de uma forma mais autêntica. Não é um jogo indicado para todos os jogadores, apenas para o que têm algum gosto pelo tema e paciência para encontrar divertimento em clicar em opções e ler texto, mas naquilo que se propõe a fazer é um jogo soberbo, o que para um jogo ainda em acesso antecipado não é nada mau.

Tiago Roque

Leave A Comment