Análise: Sword of the Necromancer

Sword of the Necromancer é um Action RPG que segue a história de Tama and Koko, um ladrão e uma sacerdotisa. A história é contada em forma de visual novel, , normalmente avançando sempre que derrotamos um boss. A história é contada na perspectiva da personagem, a partir do momento em que conhecemos os dois e a partir daí, cada cena é um momento aleatório durante a aventura. Fora desses momentos, não há nenhum outro momento de desenvolvimento envolvendo as duas personagens. Em vez disso, podemos encontrar entradas de diário conforme percorremos as masmorras. Essas entradas de diário vêm de outros personagens que se aventuraram nas masmorras em busca do poder do Necromante e como correu a sua aventura. Embora possa parecer aborrecido simplesmente ler o texto, existem algumas entradas que dão muita substância ao mundo jogo. Embora a história possa parecer um pouco banal, especialmente no início, à medida que progredimos na aventura tudo vai melhorando, especialmente por causa das personagens.

Sword of the Necromancer é um RPG de ação de elementos roguelite, o que significa que cada vez que passamos por uma masmorra, o layout muda, assim como os monstros e itens que podem aparecer durante a corrida. Encontramos armas, armaduras e acessórios, ou itens gerais como poções que podem tornar a corrida mais fácil ou mais difícil. Neste aspeto não há nada que Sword of the Necromancer faça muito diferente. Cada item tem a sua utilidade, ou é simplesmente uma desvantagem e temos de ler o que cada item faz antes de continuar, porque nem todos os itens irão melhorar a personagem. A jogabilidade em si é bastante tradicional, com o movimento normal, um ataque principal e quaisquer outras armas, monstros ou itens podem ser equipados nos outros botões e usados ​​a qualquer momento. Algumas armas, como o arco, têm uma barra de munições que indica a quantidade de uso que podemos dar à arma. Além disso podemos fazer coisas como correr e esquivar e uma barra de magia que mostra a nossa energia mágica.

A mecânica que distingue Sword of the Necromancer da concorrência é a habilidade de reavivar monstros que derrotamos. Depois de escolher reviver um monstro, eles ocupam um dos slots de arma e a barra de saúde deles é indicada acima do ícone e assim que a saúde deles for reduzida, o monstro estará morto para sempre. Infelizmente não podemos fazer isto com bosses, mas felizmente os mini-bosses podemos. Se os slots das armas estiverem cheios, qualquer monstro que que queiramos reavivar pode ser trocado por algo que esteja nesse slot. Uma coisa importante a ter em mente é que como em muitos roguelites, apesar do jogo gravar automáticamente, apenos o faz na zona central, ou seja, se decidirem sair a meio de uma masmorra não irão levar nada dessa última corrida. Em termos de dificuldade do jogo, Sword of the Necromancer permite uma série de configurações nesse aspeto. Existe uma dificuldade fácil, normal e difícil e também podemos escolher se queremos manter os níveis e itens ganhos antes de morrer ou sair de uma masmorra. Conforme ganhamos níveis ficamos mais fortes e registentes, com mais saúde e mais magia. Isso permite que os jogadores joguem à sua maneira e possam melhorar a personagem aos poucos e avançarem com mais facilidade. Sword of the Necromancer permite também que usando materiais que encontramos em caixas na masmorra, possamos adicionar diferentes habilidades às armas que encontramos nas masmorras. De forma semelhante às armas e itens que encontramos na masmorra, podemos adicionar buffs e debuffs para tornar o jogo mais fácil ou mais difícil, coforme os itens que utilizamos. Os materiais que precisamos levam um tempo considerável para serem reunidos, por isso é algo que convém utilizar de forma inteligente.

Visualmente o jogo apresenta uma agradável arte pixel e uma animação de abertura e a arte cutscene em estilo anime. Ambos são realmente bonitos de se ver, com muitos detalhes de ambos os tipos. Apesar de o jogo fazer um bom trabalho em termos da diversidade das masmorras, não há muito que possa ser feito para evitar que ao longo do tempo tudo parece semelhante, especialmente porque já vimos tudo várias vezes. A componente audio é também muito boa, especialmente as vozes que contam com atores e atrizes muito capazes. A emoção que todos as personagens colocam nas suas performances melhora ainda mais as cutscenes.

Sword of the Necromancer é um jogo divertido, mas é um jogo onde os nossos reflexos são testados várias vezes, com inimigos a atacar de todo o lado. Cada monstro e boss tem seus próprios padrões de combate e apenas o tempo nos torna melhores no jogo. Se são fãs do género Sword of the Necromancer é fenomenal e a qualidade que apresenta faz também com que seja uma das melhores propostas caso queiram experimentar algo dentro do género roguelite.

Tiago Roque

Leave A Comment