Antevisão: EVERSPACE 2

O primeiro EVERSPACE é um jogo deveras interessante. Misturando combate espacial com mecânicas roguelite, o primeiro EVERSPACE destacou-se tanto por este conceito como pela sua jogabilidade. É portanto surpreendente que a sua sequela tenha optado por ignorar grande parte daquilo que fez do primeiro jogo bom, mas também é a prova de que por vezes é a única forma de crescer. Aquilo que o primeiro EVERSPACE fez não tem muito espaço para crescer. Obviamente que a sua sequela podia ser maior e melhor, mas se a sequela optasse por seguir uma direção mais tradicional, teria mais espaço para crescer, potencialmente mais controlo sobre o conteúdo e experiência de jogo ao ignorar os aspetos rogue e no geral atraír jogadores que não gostam dessas mecânicas aleatórias mas gostam de jogos de combate espacial. A realidade é que o resultado mostra que a aposta foi ganha e graças aos créditos que ganhou com o primeiro jogo, a Rockfish Games consegue apresentar uma sequela completamente diferente, mas melhor exatamente por isso.

EVERSPACE 2 pode não revolucionar o género, mas essencialmente vai buscar praticamente todos os elementos que fazem dele bom. Se já jogaram algum jogo do género então começar a jogar EVERSPACE 2 vai parecer familiar. Dentro de minutos irão estar mais do que habituados à sua jogabilidade e a vaporizar inimigos. EVERSPACE 2 é divertido e as jogabilidade das naves é rápida, mas para ser bom no género em 2021 é preciso algo mais e felizmente o jogo oferece mais. EVERSPACE 2 pode não ser uma reimaginação ousada do género, mas resume tudo o que há de bom nele e tem um grande mundo para explorar, muitas atividades paralelas, e um equilíbrio entre o combate intenso no estilo arcade e os sistemas de RPG que foram adaptados das raizes roguelite do jogo. EVERSPACE 2 tem uma quantidade surpreendente em comum com jogos modernos que nada têm a ver com combate espacial e isso é realmente bom e apenas o ajuda a crescer.

A customização é o grande ponto forte do jogo e praticamente tudo pode ser melhorado, desde os escudos até o núcleo de energia e armas. Não é uma mecânica inovadora ou original, mas simplesmente funciona e há algo de muito gratificante em ter algo novo para melhorar com alguma frequência. Também dispomos de vários dispositivos que são basicamente a versão do jogo de feitiços ou habilidades e que podemos encontrar, equipar e disparar a meio do combate. A variedade e originalidade destes é também muito boa, com um deles a ser um vírus que se espalha para as naves inimigas próximas por exemplo. Isto trás também variedade ao combate, oferecendo mais possibilidades aos jogadores e formas de estes poderem também procurar soluções mais criativas ou simplesmente mais divertidas para o combate.Seguir a história principal também apresenta companheiros que têm vantagens úteis. Toda esta personalização pode parecer confusa e imensa e embora existam tutoriais que orientam o jogador por alguns destes sistemas, neste momento também não posso negar que há muita tentativa e erro envolvida, algo que no futuro espero que melhore.

EVERSPACE 2 acaba por falhar em pormenores da interface. Em combate por exemplo é muito difícil ter uma noção do conflito que acontece ao nosso redor. Quando enfrentamos mais de três outros inimigos, não há uma boa maneira de priorizar alvos por exemplo. Embora se baseie em outros jogos do género, EVERSPACE 2 tem toques originais que são realmente bons como o design dos níveis, algo que devia à natureza roguelite do original não era muito fácil de fazer. Por outro lado o seu mundo aberto não é perfeito, contando com tempos de carregamento evidentes. As zonas são marcadas num mapa e quando voamos até elas usando warp speed temos um tempo de carregamento. A quantidade de conteúdo num jogo como No Man’s Sky é impressionante sim, mas a qualidade de algo criado à mão salta à vista e a decisão de ir por esse caminho aqui vale realmente a pena. Existem zonas soberbas em EVERSPACE 2 que mostram o contraste maravilhoso com o vazio do espaço e essas zonas são divertidas o suficiente para que explorar valha a pena aqui.

Aquilo onde EVERSPACE 2 não elabora muito é numa vertente de simulação que caracteriza muitos destes jogos. Os recursos comprados numa área podem ser negociados em outra para lucro, mas não há uma economia propriamente dita por exemplo. O universo parece bastante estático e não responde à nossa presença. Não podemos aventurar-nos numa conquista galática à espera de ficarmos conhecidos e conquistar um império. Mas consegue na mesma ser um jogo muito interessante, mais arcade, com um aspeto fantástico e recheado de opções modernas. Se gostam do género vão encontrar muito para gostar aqui e no futuro apenas pode ficar melhor.

Tiago Roque

Leave A Comment