Análise: Ratchet & Clank: Rift Apart

Ratched & Clank tornou-se uma das principais caras da PlayStation. A série da Insomniac Games marcou presença em todas as consolas da Sony desde o lançamento do original para a PlayStation 2 e a evolução tem sido constante, mantendo o foco na ação que marca a jogabilidade desde o original. Ratchet & Clank: Rift Apart por outro lado é um salto gigante na qualidade. Todos os jogos da série são realmente bons, mas Ratchet & Clank: Rift Apart impressionou-me verdadeiramente e ajuda a cimentar a ideia de que a PlayStation 5 é mais uma consola esta geração.

A PlayStation 5 tem uma série de bons jogos já, mas faltava-lhe aquele jogo que justifique verdadeiramente a consola. Alguns dos jogos podemos jogar na PlayStation 4 ou no PC ou outra consola e outros são bons jogos, mas que não justificam gastar 500€ para jogar. Isto até Ratchet & Clank: Rift Apart, um jogo obrigatório, sejam vocês fãs das personagens ou não. Isto não quer dizer que não irão retirar muito mais do jogo caso sejam fãs.

Ratchet e Clank estão longe das aventuras à algum tempo. Se a arte imitar a realidade então estão afastados da ação desde o lançamento de Ratchet & Clank: Into the Nexus em 2013, ou seja à praticamente 8 anos. Infelizmente para os nossos heróis o Dr. Nefarious está de volta e não vem sozinho, já que aproveitando uma invenção que deveria ser uma prenda de Clank para Ratchet, abre uma série de portais que coloca em causa o próprio tecido do espaço. Numa dimensão alternativa ele encontra também o Imperador Nefarious, a sua versão nesta realidade onde parece ter levado sempre a melhor, algo que Rachet e Clank não deixaram acontecer na sua realidade.

Apesar de este jogo vir a ser um verdadeiro clássico nos próximos anos, o jogo irá parecer muito familiar a quem já jogou algo da série. Os jogadores assumem o papel da dupla titular enquanto lutam por várias galáxias e ao longo do caminho, desbloqueia novas armas, conhecerá um elenco vasto de personagens interessantes e irá recolher milhões e milhões de parafusos. A novidade é uma nova personagem, uma nova Lombax que faz com que Ratchet deixe de ser o único. Rift Apart é um blockbuster emocionante que combina a qualidade cinematográfica da animação de Hollywood com a ação de um jogo. A ideia que fica é que estamos a jogar um filme de animação dos mais recentes, dada a qualidade dos visuais do jogo.

É também um jogo de ação sólido com ritmo impecável onde raramente passamos muito tempo a fazer a mesma coisa sem uma pausa para fazer algo diferente. Para dizer a verdade não há nenhuma caracteristica do jogo que eu possa dizer que é a melhor que já vi. No entanto quando juntamos um dos melhores visuais desta nova geração, com uma das melhores jogabilidades, dos melhores puzzles e dos melhores combates contra bosses, começam a ver porque razão é tão bom. É a junção de todos estes elementos de grande qualidade que fazem de Ratchet & Clank: Rift Apart um jogo fantástico. Juntando a isto tudo o ritmo do jogo, então temos algo que essencialmente não conseguimos largar até terminar a história, algo que deverá demorar pouco mais de 13 horas.

Ratchet & Clank é um jogo de ação relativamente familiar, mas a Insomniac fez um trabalho incrível em manter as coisas frescas com o ritmo e a variedade de objetivos. Não deixa no entanto de ser visualmente onde o jogo mais se destaca. Cada local, arma e inimigo parece diferente e os inimigos reagem de forma diferente dependendo da localização e da forma como os enfrentamos, principalmente com que armamento os enfrentamos. A animação destaca-se na forma como as personagens se movem e reagem. É um trabalho incrível e quando adicionamos a quantidade de detalhe de cada área, então tudo fica quase irreal. A quantidade de elementos aa saltar pelo ecrã, a explodir e cores é simplesmente “eye candy”.

Tudo isto parece realmente bom, mas e o resto? O que é que faz com que este seja o jogo que irá vender consolas? Bem, tudo isto vende consolas porque além de tudo isto, o jogo faz uma implementação perfeita do Dualsense. Cada arma do jogo é diferente e isso vê-se na implementação no próprio comando. Sentimos todas as engrenagens das armas nas nossas mãos. A forma como os gatilhos bloqueiam em duas fases ou vão vibrando mais ou menos conforme a instabilidade da nossa metralhadora. Além de uma consola como a PlayStation 5 precisar de exclusivos para se destacar, agora mais do que nunca é preciso mostrar como a forma de jogar também pode ser bastante diferente e Ratchet & Clank: Rift Apart é verdadeiramente uma experiência que só podemos ter aqui.

Ratchet & Clank: Rift Apart é o derradeiro jogo da série. Os jogos anteriores sempre me divertiram e até divertiram apenas com o seu lore, mas este foi o jogo que realmente me fascinou. Fascinou-me ao ponto de pensar como seria fantástico um jogo como Destiny neste universo. Se a Insomniac pudesse expandir todos estes planetas de alguma forma eu acho que me perdia a explorar cada recanto de cada um deles.

Ratchet & Clank: Rift Apart é um jogo especial, é um jogo que mostra um salto tecnológico de uma forma que sinceramente não estava à espera de ver na PlayStation 5 e se é indicativo de alguma forma daquilo que a Sony tem reservado para nós nos próximos anos, mal posso esperar.

Tiago Roque

Leave A Comment