Antevisão: A Way To Be Dead

A Way To Be Dead é um novo jogo multijogador assimétrico que coloca 1 jogador contra outros 4. A Way To Be Dead encontra-se neste momento em acesso antecipado na Steam e está a ser desenvolvido pelo estúdio turco Crania, um estúdio que certamente não irá dizer grande coisa a muita gente, mas que já lançou um jogo que me passou pelas mãos, Beyond Extinct, um jogo que também analisei em acesso antecipado e voltei agora a verificar o seu estado por me lembrar do nome do estúdio. Infelizmente e para minha surpresa continua ainda em acesso antecipado mais de um ano depois.

Olhando para os vários jogos da Crania, que já são três neste momento é dificil não achar que existe alguma reciclagem de assets e ideias e o estado de Beyond Extinct ajuda a que não possa confiar no futuro de A Way To Be Dead. Recorrendo ao Unreal 4, os jogos da Crania não têm mau aspeto, mas A Way To Be Dead é tão genérico como Beyond Extinct e Roots of Insanity, o primeiro jogo do estúdio e com o qual supostamente A Way To Be Dead partilha o universo.

Sendo um jogo multijogador, A Way To Be Dead não irá sobreviver apenas pela vontade dos seus criadores. É necessário que os jogadores realmente joguem. Tendo chegado sem grande alarido, A Way To Be Dead nunca irá ter uma grande player base a não ser que se torne viral por alguma razão. Além disso o jogo é em tudo semelhante a propostas já estabelecidas e melhores. Não há nada que o jogo ofereça que Dead By Daylight por exemplo não ofereça e mmelhor.

Way to be Dead é um jogo multiplayer assimétrico (4 contra 1) em que um médico está à caça de um grupo de vítimas que tentam escapar de um hospital infestado de zombis. A atmosfera é boa quando começamos no mapa do hospital e a sensação geral de receio constante está bem conseguida. Essencialmente temos de nos esconder do jogador que estiver a jogar de médico e escapar do hospital. É um conceito já visto, mas que funciona. Infelizmente para A Way To Be Dead existe melhor e já terminado no mercado, enquanto que A Way To Be Dead ainda está longe de terminado e falta-lhe o mais importante, jogadores.

A Way To Be Dead tem pontos positivos, mas além de estar longe de terminado, está a ser desenvolvido por um estúdio que ainda não terminou o seu jogo anterior. É a falta de confiança no estúdio aquilo que mais me faz recear pelo futuro do jogo, pois ao contrário de outros EA que por aqui passaram, este poderá não ser terminado nunca.

Tiago Roque

Leave A Comment