Análise Killing Floor Gold

Ter como principal rival Left 4 Dead não é tarefa fácil especialmente com uma equipa de desenvolvimento muito mais pequena, mas Killing Floor surpreendeu. A premissa é simples, coloquem seis jogadores num mapa fechado e larguem hordas de zombies sobre eles. Para dizer a verdade não são bem zombies mas sim uma especie de mutantes mas a ideia é a mesma. Graças a uma mecânica mais simples consegue-se também jogos mais curtos, especialmente nas dificuldades mais baixas, sendo esta a principal razão que fez muitos jogadores pegarem em Killing Floor em vez de Left 4 Dead por exemplo.

Há uma grande variedade de criaturas, desde invisíveis a rastejantes e até gordos que vomitam em cima de nós. No final de cada mapa há ainda um boss final que é sem duvida o maior desafio para a equipa. As armas são adquiridas durante o jogo, sendo que se começa sempre com uma simples pistola, mas podemos acabar com um lança misseis, tudo depende do numero de criaturas que conseguirem matar. Apenas podem usar a shop durante um pequeno intervalo entre as ondas de zombies. Como nem todos podem matar o mesmo numero de zombies, os jogadores que conseguirem mais dinheiro e não precisem dele todo podem passa-lo para os outros jogadores, pois uma equipa mais forte é bastante mais eficiente.

A unica vantagem de comprar a edição Gold é a de ter acesso a todos os DLCs lançados até ao momento, infelizmente os DLCs não são normalmente mais do que skins para a nossa personagem, não havendo um grande numero de mapas oficiais (há bastantes mapas criados pelos utilizadores) ou classes novas. Independentemente do numero de DLCs que tenham irão sempre ter acesso às mesmas classes e armas, o que faz com que esta edição não acrescente nenhuma vantagem em termos de gameplay.

Killing Floor é um ótimo jogo cooperativo, estando ao nível de Left 4 Dead, contado com pequenos pormenores como o ZEDtime, a câmera lenta que nos dá momentos gore incríveis, utilizando para tal o Unreal Engine que apesar de não lhe dar gráficos de topo dá-lhe grafismo bom o suficiente para que juntamente com o grão na câmera crie uma atmosfera unica e aterradora. O bom som ajuda também na criação desta atmosfera de suspense desde os menus ao jogo em si. Podem não apanhar o maior susto que já apanharam num jogo mas irão sem duvida morrer bastante mas irão também passar um bom tempo em Killing Floor. Se tiverem um conjunto de amigos então Killing Floor irá ser ainda mais interessante e como praticamente tudo é customizável desde a dificuldade

Pontuação: 7.8/10

Requisitos do sistema – PC

Mínimo:

    • SO: Windows 2000/XP/Vista
    • Processador: 1.2 GHZ ou Equivalente
    • Memória: 512 MB RAM
    • Placa de Vídeo: 64 MB, compatível com DX9
    • Espaço em Disco: 2 GB de espaço livre em disco
    • Placa de Som: Compatível com DX 8.1

Recomendado:

    • SO: Windows 2000/XP/Vista
    • Processador: 2.4 GHZ ou Equivalentet
    • Memória: 1 GB de RAM
    • Gráficos: 128 MB, compatível com DX9 e com suporte a PS 2.0
    • Disco Rígido: 2 GB de espaço livre no disco rígido
    • Som: Compatível com Eax

Requisitos do sistema – Mac

    • OS: OS X version Leopard 10.5.8, Snow Leopard 10.6.3, or later.
    • Processor: Intel Mac
    • Graphics: Nvidia or ATI GPU (Intel GPUs unsupported)

Tiago Roque

Leave A Comment