Análise: Battlezone: Combat Commander

Battlezone II foi originalmente lançado em 1999, como uma continuação do antigo reboot da Atari. O Battlezone de 1998 foi anunciado como o início de um novo género, sendo uma mistura de FPS e um jogo de estratégia em tempo real e já foi remasterizado como Battlezone 98 Redux, mas infelizmente não foi um grande […]

LER MAIS
Análise: Ruiner

Ruiner é o jogo de estreia da Reikon, um pequeno estúdio da Varsóvia, que varia um pouco a típica fórmula do género twin shooter diminuindo um pouco a velocidade do jogo, reduzindo significativamente o número de inimigos e elevando a dificuldade geral. O jogo desenrola-se numa metrópole cyberpunk no ano 2091 com o nosso herói, […]

LER MAIS
Análise: Bridge Constructor Portal

Um dos meus jogos favoritos e consequentemente aquele que já terminei mais vezes é Portal. Posso dizer que se tornou quase rotina acabar o primeiro Portal uma ou duas vezes por mês durante algum tempo. Apesar de não ter a mesma ligação com a sequela considero-o de longe um melhor jogo, bastante mais completo e […]

LER MAIS
Análise: The Pillars of the Earth

Sendo uma adaptação fiel do livro do mesmo nome de  Ken Folle, lançado em 1989, ninguém pode acusar The Pillars of the Earth de ter uma má história e sendo a história o foco do jogo, o mais importante está garantido. Para aqueles com paciência, há uma história maravilhosa de corrupção política, autodescoberta e confiança religiosa para […]

LER MAIS
Análise: Aftercharge

Aftercharge da Chainawesome Games é um shooter 3vs3 competitivo que coloca robôs invisíveis contra um esquadrão de segurança invencível em conflitos táticos dramáticos e muito intensos. Ambas as equipas trabalham para proteger os seis extractores brilhantes de cada mapa com os robôs a precisarem de coordenar os seus ataques para criar distrações para o esquadrão […]

LER MAIS
Análise: Northgard

Northgard é um novo RTS da Shiro Games que não tem tanto enfase na construção de vastos exércitos de vikings ou frotas de navios mas sim numa estratégia deliberadamente focada na marcha da primavera ao inverno e as mil pequenas maneiras em que o planeamento e as decisões precipitadas podem significar a morte de um pequeno […]

LER MAIS
Análise: Immortal Redneck

O conceito de Immortal Redneck tem tudo para não funcionar. Felizmente e tal como muitos jogos que no papel fazem zero sentido, o resultado final é bem mais do que a soma das suas ideias e realmente surpreendente. Um americano que não poderia mais esteriotipado do redneck comum, bate e morre com o seu todo […]

LER MAIS
Análise: ADOM (Ancient Domains Of Mystery)

ADOM é conhecido por ser um jogo difícil desde o seu lançamento original, sendo uma referência do género roguelike. Aqui jogamos como um guerreiro que deve lutar contra as forças do caos, sendo que a gestão da comida é um ponto fulcral. Comer criaturas inocentes faz com que a personagem se sinta culpada e a […]

LER MAIS
Análise: Seabed

SeaBed é um conto de amigos de infância que se transformaram em amantes, Mizuno Sachiko e Takako, que agora foram separados por alguma estranha circunstância que nenhum dos dois se consegue lembrar. Narasaki Hibiki é o simpático psiquiatra que se encarrega de esclarecer a situação. Juntos, mas também separadamente, todos os três vivem as suas […]

LER MAIS
Análise: VROOM KABOOM

Com Mad Max: Fury Road como principal inspiração, VROOM KABOOM usa principalmente um conceito interessante. Misturando conceitos de Tower Defense, jogo de condução e jogo de cartas para criar um conceito único, VROOM KABOOM é um daqueles jogos que tem tudo para não funcionar no papel, mas  o resultado final é bastante agradável. O jogo […]

LER MAIS