Análise Cave Story 3D

Se perguntarem a todos os jogadores que acompanham jogos um pouco desconhecidos e perguntarem qual o jogo que não precisa de um upgrade, muitos irão responder Cave Story.  Descrito como o jogo NES que nunca o foi, uma grande parte do seu encanto depende da aparência e funcionando exactamente como um jogo old-school dos anos 80. Ou pelo menos é o que pensamos antes de jogarem a versão 3DS. Cave Story foi a sensação indie no PC em 2004, criado por Daisuke Amaya, sendo todo o jogo feito no seu tempo livre. É um dos exemplos mais famosos do que alguém consegue fazer sozinho com esforço, especialmente na era moderna.

Com o seu personagem robô com amnésia que caiu numa gruta. Lá ele envolve-se nos eventos locais. Um grupo de criaturas parecidas com coelhos são sistematicamente atacados por um médico maligno. Devido a muitos aspectos específicos da cultura japonesa pode ser difícil envolverem-se na história no inicio mas rapidamente se começam a preocupar com os habitantes.  Até o final do jogo percebem que as personagens são mais memoráveis do que qualquer um desses na maioria dos jogos de grande orçamento. Tudo depende de uma abordagem igualmente humilde, e apesar de já não se parecer com um jogo NES a jogabilidade é praticamente igual à desses tempos. De fato, em termos de jogabilidade é essencialmente idêntico às versões anteriores, incluindo os controlos.


A única acção ainda ocorre num plano 2D com o visual 3D a retratar um mundo radicalmente diferente. Em vez dos cenários estéreis do original,  diferentes áreas agora têm a sua própria atmosfera distinta, mantendo o mesmo layout e temas. Eles podem não parecer muito em screenshots, mas desde jardins cheios de flores até aos túmulos em decomposição o jogo agora é tão interessante para olhar como é de jogar. Especialmente tendo em conta a utilização de ângulos de câmara, com muitas técnicas utilizadas nos jogos modernos. Não me lembro de ter visto um remake em 3D de um jogo 2D feito tão bem como este, mantendo a personalidade icónica do jogo com as personagens e bosses mantidos surpreendentemente bem.

Embora se não gostarem do novo visual, podem sempre apenas usar os sprites antigos 2D em cima do novo 3D. O jogo tem muitas influências, muitas delas no manga, o principal é o velho Metroid 2D.  O personagem principal é capaz de actualizar as suas habilidades e armas à medida que o jogo progride, movendo-se muito além da pistola de convivência e do HP limitado, com que ele começa. Há metralhadoras e bazucas, cada um dos quais pode ser actualizado com cristais obtidos de inimigos derrotados. Muitos podem ser aplicados de forma incomum, incluindo um equivalente de saltos com foguetes estilo Quake, enquanto outros equipamentos, como um jetpack ajuda a reduzir os perigos de um salto entre plataformas nas secções mais para o final do jogo. Nenhuma das personagens oferecem nenhum indício destas possibilidades num primeiro momento, na verdade, todas as personagens recusam-se a explicar o que está a acontecer.

São então forçados a fazer o que que poucos jogos exigem hoje em dia, resolver as coisas por nós mesmos. Não apenas os controles e o próximo destino, mas as consequências das nossas acções. Não há nenhuma das escolhas preto ou branco de  Mass Effect. Uma em particular, pode reduzir pela metade o tempo de jogo, enquanto outros vão mudar o final. Há quatro novas áreas na versão 3DS , baseadas em conceitos inacabados das primeiras versões para PC, uma das quais está entre as melhores do jogo. Infelizmente não contém todos os extras lançados para outras versões do jogo original mas podem ter a certeza este é um dos jogos melhores disponíveis actualmente para a 3DS.  Incentivo todos os jogador que possuam uma 3DS a experimentar Cave Story. Tendo em conta que o original pode ser jogado gratuitamente não consigo dizer definitivamente que devem comprar a versão 3DS se não gostam deste tipo de jogos.

Não é uma escolha fácil como parece, porque embora os novos gráficos realmente adicionam muita coisa ao jogo, tornando-o muito mais acessível para quem não gosta dos visuais retro do anterior. Cave Story ainda tem uma qualidade atemporal que desmente as sua humildes origens. Nem sempre simplesmente fazer o upgrade para 3D funciona e na verdade esta versão tem até menos conteúdo que outras versões, mas ao dar ao jogo visuais dignos e actuais ao mesmo tempo que conseguiram manter tudo o que este tinha de bom a NIS criou um dos melhores jogos para 3DS. A jogabilidade e visuais adaptam-se realmente à consola e a jogabilidade é tão viciante como qualquer Super Mario que apareça.

Pontuação: 9.1/10

Tiago Roque

Leave A Comment