Análise Dyad

Dyad é um pequeno jogo da Right Square Bracket Left Square Bracket Inc. que mistura conceitos de shooter com um jogo de corrida, sem cair no típico jogo de destruição ao estilo Twisted Metal. Não, Dyad é bastante diferente desse género. Dyad é um jogo de corridas com elementos de shooter num túnel e que revitaliza o género com uma série de novos conceitos.

A diversão é grande quando jogam Dyad e além dos visuais coloridos, efeitos de partículas que podem induzir ataques epilépticos e tabelas de classificações, há muito mais em Dyad do que aquilo que aprece óbvio à primeira vista. As corridas são frenéticas e podem parecer um pouco complexas no inicio mas rapidamente se compreendem todas as mecânicas necessárias e a complexidade raramente parece demasiada.

As corridas têm palco num túnel. Parecem existir bastantes inspirações, como por exemplo o clássico REZ, mas depois de jogar umas boas horas a sensação que acaba por ficar é de que Dyad é mais algo novo do que uma reformulação de conceitos antigos. Além disso tudo resulta bastante bem e todas as inspirações funcionam de forma bastante coerente. Tudo isto é melhorado por uma quantidade enorme de variedade, o que é bastante surpreendente dado que o jogo se passa em túneis.

A mecânica base de Dyad é bastante simples. Tem que conduzir através de um tubo enquanto recolhem umas orbs que aumentam a velocidade. À medida que avançam no jogo esta mecânica simples vai-se complicando, mas mantendo sempre o mesmo conceito base. Mais do que um jogo normal de corridas, o conceito da física de momento é talvez a melhor forma de explicar a sensação de jogar Dyad.
Isto faz com que a curva de dificuldade aumente de forma estável, pois enquanto que no inicio têm pouco para se preocuparem, conseguem completar as corridas iniciais sem perceber realmente muito do jogo, vão aprendendo com o tempo a como ir de orb em orb tendo em conta as cores e assim aumentando muito a velocidade que demoram a completar um nível. Por muito que tenha existido muito cuidado para manter a curva de dificuldade nivelada, sempre que um novo elemento é introduzido acaba por haver um salto de dificuldade.

Dyad_2

Mais perto do final do jogo começa a aumentar muito o desafio, especialmente quando começamos a ter objectivos durante a corrida, como morrer apenas três vezes ou carregar um certo numero de vezes no botão que nos permite emparelhar as orbs. É este o desafio principal em Dyad pois é realmente difícil conseguir fazê-lo à primeira e mesmo ao fim de dez tentativas continua a ser desafiante.

Mesmo quando achamos que somos realmente bons em Dyad não há nada como a tabela de classificações para nos destruir a moralidade. Confiando que realmente não existem cheats ou exploits no jogo é realmente incrível ver alguns dos tempos que existem nos rankings globais.

A estética de Dyad é simples, os menus e os níveis estão repletos de cores e luzes e juntamente com o som fazem de Dyad é verdadeiro regalo para os olhos. A jogabilidade é incrivelmente viciante e no geral Dyad é um daqueles desafios que gostamos de tentar vencer. Não há muitas razões realmente para não gostar de Dyad, pois o único problema que este tem realmente é o aumento de dificuldade por vezes e mesmo isso apenas aumenta um desafio brilhante. Tendo em conta que não existe realmente nada neste género que faça as coisas melhor que Dyad, tenho que o recomendar bastante.

9/10

 

Tiago Roque

Leave A Comment