Análise Papo & Yo

Papo & Yo é um daqueles jogos que aparece uma vez por ano no máximo. É um jogo que foi lançado o ano passado para PS3 e que chega agora ao PC. É também um jogo que já deviam ter jogado na PS3, mas se realmente foi impossível têm agora a vossa oportunidade. É um jogo encantar com boa musica e relaxante em que os seus puzzles nunca se tornam demasiado difíceis.  É sem duvida um jogo que consegue manter-nos em controlo sem nunca nos deixar frustrados.

Em Papo & Yo irão controlar Quico através de um mundo de fantasia recheado de puzzles. Para salvar o seu companheiro e escapar ao mal que o assombra Quico irá ter que explorar este mundo com a ajudar do seu companheiro robô. O próprio mundo de Papo & Yo é um puzzle que vai evoluindo lentamente à medida que avançam no jogo. Não é tão simples quanto resolver um puzzle, irão precisar de todas as vossas habilidades a ultrapassar plataformas, bastante elasticidade mental e bom planeamento para ultrapassar os puzzles de Papo & Yo.

Os puzzles são bons, no entanto são um pouco difíceis. Algo que muitas vezes este tipo de jogos fazem é tornar o jogo demasiado difícil para contornar a curta longevidade. Papo & Yo faz algo semelhante mas ao contrário. Os puzzles são relativamente fáceis, no entanto o jogo tem uma longevidade considerável. Como todos os puzzles são diferentes e originais e a longevidade não é tão longa ao ponto de o tornar aborrecido posso dizer que Papo & Yo dura exactamente o que deveria durar e tem uma dificuldade certa para a sua longevidade.

A única dificuldade, ou pelo menos a maior, vem mesmo das zonas de plataformas. Não porque sejam difíceis mas porque os controlos não as deixam ser fáceis. É um daqueles jogos que torna algo difícil que não deveria ser. Olhando objectivamente para as vezes que não consegui ou demorei mais do que queria a fazer algo, não foi realmente pela dificuldade do jogo, foi simplesmente porque não consegui fazer o que queria com os controlos que o jogo me deu. Papo & Yo é um jogo simples com boas mecânicas que não deveria realmente sofrer tanto pelos controlos.

Apesar da sua simplicidade, quando se olha para Papo & Yo com os olhos de adulto, conseguimos ver os temas sérios que ele trata. Quico usa um monstro para resolver os puzzles, arrastando-o pelo cenário com frutas. Quando encontram uma rã o monstro irá ficar agressivo e irá agredir a nossa personagem até lhe darem uma fruta podre e assim acalma-lo.

Dado que o jogo começa com uma dedicação do seu criador à mãe e irmãos, fazendo referencia ao monstro dentro do pai então podemos ter uma ideia do que realmente se passa aqui. Talvez a tal rã seja algo que o pai abusou e o tornava agressivo. Acho que qualquer um consegue fazer a ponte entre o jogo e o assunto sério que este trata.

PapoYo_indie

 

O jogo dura cerca de três horas e por essa altura o monstro é um verdadeiro fardo, no entanto isso ajuda-o a passar a mensagem que quer passar. Facilmente se consegue fazer a ligação com a realidade e quem passou por uma situação semelhante irá sem duvida ter uma ligação grande com este jogo, e essa era sem duvida a intenção do seu criador. A forma como temas como o alcoolismo e abuso são tratados metaforicamente é simplesmente genial. É um jogo que me fez lembrar por vezes ICO, mas que tem sem duvida alguma uma alma diferente, até porque trata assuntos bastante diferentes.

O problema de Papo & Yo é sem duvida a jogabilidade que não consegue de forma alguma acompanhar a qualidade do resto. Um jogo com tanta simplicidade torna-se demasiado irritante por problemas de precisão nos controlos. É uma dificuldade que não deveria existir até porque não é intencional. Se conseguirem olhar para o lado destes problemas ficam com um jogo único que trata assuntos adultos e que recomendo bastante. São três horas de jogo que nos vão fazer pensar e nos tornam pessoas melhores ao deixar-nos ver o mundo pelos olhos de uma criança.

8/10

Tiago Roque

Leave A Comment