Análise Guncraft

Guncraft, tal como o nome sugere é um jogo que tem como base duas características: armas e construção. A primeira impressão ao ver este jogo, é de que isto não é nada mais do que “Minecraft com armas”. Na realidade, a única coisa parecida com Minecraft é o aspeto estético, baseado em Voxels. Aqui o que conta não é só a construção, mas mais a destruição.

Imaginemos um data de jogos misturados, desde Call of Duty ou Team Fortress 2 até Minecrat, de forma original e refrescante. Isto é Guncraft. Aqui o enfase é nas armas e na criação de mapas, o que apesar de todas as ideias deste jogo não serem completamente originais, foram encaixadas de forma muito inteligente e fazem de Guncraft um jogo divertidíssimo.

Orientado para ser jogado online, as batalhas são  muito bem conseguidas, pois a jogabilidade com as armas é muito boa, temos à disposição um arsenal enorme de armas, veículos como helicópteros e tanques de guerra, e ao fazermos killstreaks ingame, ou ao subir de nível à medida que formos matando mais inimigos somos também recompensados com gadgets como jetpacks ou veículos telecomandados; e melhor ainda é que o facto de os mapas serem em blocos Voxel, são completamente destrutíveis, o que leva a dinâmica de um típico First Person Shooter até outro nível.

Outra característica muito interessante, é o facto de ao jogar, vamos ganhando dinheiro; com esse dinheiro podemos fazer aquilo que eu considero ser o grande trunfo de Guncraft: construir. Construir sem nenhum tipo de limite, sem ser a imaginação. No meio de uma chuva de balas, posso criar um bunker e refugiar-me lá dentro, posso também criar letreiro gigante para desviar a atenção dos adversários, se bem que construir em pleno gameplay, é perigoso pois temos de parar para escolher os materiais e só depois construir, até lá , já temos uma bala de sniper cravada no nosso bloco craniano. É aqui que entram os prefabs (pré fabricados) em jogo.

2013-08-15_00007

Guncraft, convida os jogadores a criar todo o tipo de coisas, dentro de um determindado limite de blocos, para além das já existentes como escadas, paredes ou torres, mas fazer as nossas próprias criações é muito mais divertido. Para além de estruturas Guncraft dá também a possibilidade aos jogadores de criarem as suas próprias skins, mapas e armas. A criação da nossa própria arma é desenvolvida ao longo de três passos: design, atribuição de pontos estatísticos e a escolha da mira, obviamente que é um aspeto do jogo que requer alguma sabedoria, mas com este nível de criatividade, cada round de Guncraft é quase único.

image_2872

Para além do típico Team Deathmatch, Deathmatch e Capture the Flag, Guncraft apresenta também alguns modos diferentes mas igualmente divertidos. Em Lava Survival, o objetivo é subir o mais alto possível, enquanto um mar de lava inunda todo o mapa, mas acaba por ser um modo um pouco frustrante, uma vez que quando morremos temos de esperar até a lava cobrir todo o mapa. Em Siege, é uma equipa contra a outra, numa corrida para construir uma enorme catapulta; e em Onslaught, temos cinco minutos para construir um forte, e a partir daí defende-lo de hordas de robôs, o que eu vejo como o modo mais divertido, para além dos tradicionais modos de jogo presentes num shooter.

guncraft-class

Guncraft não brilha, nem leva pontos pela originalidade como é obvio, mas consegue aplicar alguns conceitos novos e divertidos a todo este mash-up de jogos. Contem também com alguns bugs nos mapas e disconnects frequentes, sendo que mesmo assim o maior problema de Guncraft é não haver muitos servidores populados, muitas vezes temos que escolher entre três servidores no máximo o que limita muito a experiência. Mesmo assim, é um jogo que vale bem a pena, pois consegue ser mesmo muito divertido, seja em batalhas pelos diversos mapas, ou fora das batalhas  a criar armas e skins.

7.5/10

Tiago Roque

Leave A Comment