Antevisão: Arboria

Arboria é um roguelite que se joga como um jogo de ação na terceira pessoa e com alguma inspiração de Souls. No jogo controlamos uma série infindável de trolls na sua demanda para salvar a sua pequena aldeia de algo, cabendo ao jogador curar raizes contaminadas que encontra em cavernas recheadas de monstros. A jogabilidade deverá já estar muito avançada no desenvolvimento neste momento já que tudo flui suavemente e as cavernas estão já recheadas de inimigos e powerups.

Ao contrário da grande maioria de jogos em Early Access que por aqui foram passando, Arboria está ainda longe de ser um produto estável e em termos de conteúdo também não podemos contar com muito neste momento. Mesmo elementos como o som não estão presentes em muito do conteúdo já presente no jogo, ou pelo menos vou assumir que é por isso que apenas pequenas porções das cutscenes têm alguma sonorização.

O jogo começa numa das cavernas do jogo com uma espécie de fada dos trolls a ensinar-nos o básico da jogabilidade. Em termos de tutorial está mais ou menos completo e digo mais ou menos porque em termos do que precisamos de saber no que toca a combate ficamos bem servidos, no entanto, assim que chegamos ao objectivo e percebemos que o troll que acabamos de controlar é basicamente descartável e cada sessão de jogo vai ser com um troll diferente, começamos a ver muitos elementos sobre os quais nada sabemos e muita coisa por desenvolver. Além do som e espero eu texturas, o mapa da aldeia mostra muito mais do que aquilo que está disponível. Ao falar com o velhote que nos envia para as cavernas ele avisa-nos de que precisamos de gastar os pontos que ganhámos antes de voltar às cavernas no entanto não encontrei forma de o fazer. Existem vários caminhos marcados com placas que vou assumir que irão no futuro dar a lojas onde podemos comprar algumas melhorias permanentes, mas neste momento não me parece que o possamos fazer. Se este conteúdo já está implementado e eu simplesmente não vi como o fazer, isso remete-nos para o problema da falta de explicação de tudo o que não é abordado no tutorial inicial e que nos deixa apenas preparados para o combate.

Mesmo as cavernas que como em qualquer roguelite vão aumentando de dificuldade à medida que vamos progredindo, não estão acabadas, longe disso, não me parecendo que seja possível avançar mais do que o quinto nível e sem melhorias permanentes, o jogo torna-se muito difícil apenas com os powerups aleatórios a que temos acesso. Falando dos powerups um dos problemas que notei é que não é óbvio o que fazem. Este é infelizmente um problema geral e tudo o que não é o combate básico eu não faço ideia do que fazer porque o jogo nunca nos explica.

Apesar dos problemas Arboria tem potencial. A ideia em si agrada-me bastante e penso que com melhores texturas e o som devidamente implementado o jogo tem tudo para ser uma referência. A arte tem estilo bastante próprio e as ideias estão aqui, falta mais trabalho até recomendar a compra mas tenho a certeza que no futuro o poderei fazer.

Tiago Roque

Leave A Comment