Análise: Super Toy Cars 2

Há momentos em que é realmente difícil fugir das primeiras impressões. A primeira vez que joguei Super Toy Cars 2 não posso dizer que fiquei muito impressionado e com a excepção de aspectos menos técnicos como a progressão, onde o jogo segue os moldes mais modernos e acaba por funcionar realmente bem, Super Toy Cars 2 não impressiona em nenhum aspecto técnico.

Apesar de alguns elementos da UI estarem bem nítidos e até os carros poderem por vezes ser razoáveis achei os cenários tão desfocados que pensei que estivesse a ver uma early build do jogo ou que tivesse ativado alguma coisa sem crer nas opções. Depois a corrida começou e tudo piorou um pouco mais. Primeiro foi a framerate que tornava jogar Super Toy Cars 2 uma verdadeira tortura e depois a câmara que abanava todo o ecrã e me causava uma confusão enorme. Por muito que me custe dizer, a minha opinião não melhorou absolutamente nada à medida que fui jogando mais.

Não tenho forma de comparar este jogo com o que o precedeu já que nunca joguei Super Toy Cars, mas pelo menos este segundo jogo está recheado de modos de jogo e opções de customização que vamos desbloqueando e comprando à medida que vamos ganhando corridas. O modo carreira junta uma série corridas juntas para formar uma taça e o jogador tem a possibilidade de ir conhecendo os vários modos de jogo à medida que vai progredindo na carreira. Infelizmente tudo isto que aprendemos não pode ser utilizado nos modos online, já que o jogo não os tem, apesar de ter multijogador local.

Como referi acima o problema de Super Toy Cars 2 não é nos seus aspetos menos técnicos. A progressão, customização e até a UI no geral são todos bons, mas o gameplay falha em toda a ordem. O movimento que a câmara faz foi um verdadeiro pesadelo para mim e isso juntamente aos cenários desfocados e framerate que parece ser abaixo de 20 não me deixaram ter qualquer diversão com o jogo. Mesmo quando já conhecia o percurso de cor não me conseguia divertir, apesar de continuar a ganhar corridas.

Com o que referi atrás já dei a entender que o jogo não tem bom aspecto, mas vai um pouco acima disso. O jogo tem um sistema de danos nos carros mas com a excepção da informação que recebia na UI não consegui ver nada disso representado no veículo. Quando o carro é destruído aí podemos ver alguns detalhes meio interessantes com rodas a saltar e portas a voar, mas no geral preferia que o jogo se jogasse bastante melhor e não ter destruição de nada. O único aspecto da apresentação em que posso considerar que Super Toy Cars 2 é bom é na vertente audio já que a banda sonora é interessante.

Infelizmente o género de condução RC e já joguei praticamente tudo o que poderia jogar na Steam desse género, muitos dos quais com jogabilidade do género Death Race, mas infelizmente não consegui encontrar praticamente nada em Super Toy Cars 2 que me agradasse. Desde os visuais do jogo, a praticamente toda a jogabilidade o jogo nunca me conseguiu surpreender pela positiva e não acredito que o consiga fazer a muitos jogadores.

Tiago Roque

Leave A Comment