Análise: Edna & Harvey: The Breakout – Anniversary Edition

Edna & Harvey: The Breakout – Anniversary Edition é uma versão melhorada do jogo de aventura lançado para PC em 2008. O jogo foi relativamente bem sucedido no lançamento original, apesar de a critica no geral ter recebido o jogo de forma pouco consensual, o jogo vendeu relativamente bem. A Valve quando fazia uma escolha mais criteriosa dos jogos que aceitava na Steam chegou a negar a venda do jogo na plataforma, mas a Daedalic conseguiu com algum esforço lançar aí o jogo.

Esta versão de aniversário que foi agora lançada na Switch é uma versão melhorada do jogo com uma arte atualizada e uma resolução maior, no entanto é essencialmente o mesmo jogo. As aventuras point and click poderiam chegar em maior quantidade à consola da Nintendo já que o ecrã tátil tem tudo para ser perfeito para este tipo de jogos. Infelizmente esta Anniversary Edition ajuda em parte a explicar porque é que têm sido poucos os jogos a fazer o salto para a portátil da Nintendo.


O jogo começa com Edna presa numa cela de um hospital psiquiátrico com o seu urso de peluche Harvey a fazer-lhe companhia. Edna não faz ideia da razão porque está naquela situação mas tem a certeza absoluta que não deveria lá estar e começa na sua demanda para fugir. A história está longe de ser a melhor que o género tem para oferecer e no geral o jogo em si é realmente mediano. Já o era no lançamento original e apesar de estar com uma cara mais atual, não ganhou propriamente qualidade, apenas não perdeu as que tinha. O jogo tem algum bom humor e os diálogos são divertidos, mas a história não é realmente muito interessante, apesar de os protagonistas serem bastante carismáticos.

A jogabilidade é aquilo que na minha opinião não funciona bem. No pc o jogo é um point and click em que jogamos com o rato e é tudo bastante óbvio, mas na Switch o jogo precisa de ser controlado com os Joy Cons e nem sempre o faz da melhor forma. Podemos usar um item, tentar recolhê-lo ou falar com ele. O movimento é feito com o analógico esquerdo e talvez o maior problema é que nem sempre é facil interagir com os objectos.

Como na grande maioria dos point and click podemos utilizar objectos no ambiente e até combinar itens para criar outros novos. Ao longo do jogo Edna ganha até habilidades novas, normalmente quando Harvey a transporta para memórias do seu passado. Os puzzles são ao bom estilo dos clássicos, uma mistura entre lógicos e “lógicos no contexto certo”. Se tivermos bastante atenção aos diálogos e à situação conseguimos na maioria das vezes perceber o que temos para fazer, mas se estivermos a jogar por jogar iremos ter que recorrer a um guia com bastante frequência ou andar em circulos até perceber o que fazer.

Visualmente o jogo utiliza imagens muito nítidas em estilo cartoon que na grande maioria estão bem animadas, melhor do que no original. Algumas interações com o ambiente estão principalmente bem animadas, no entanto estes momentos são poucos e bastante afastados entre si. As vozes também são boas e tanto Harvey como Edna e as restantes personagens estão recheadas de personalidades. As vozes são bastante “desenho animado” no entanto tendo em conta o aspecto visual, estas vozes encaixam na perfeição.

Edna & Harvey: The Breakout – Anniversary Edition é um bom upgrade de um jogo mediano. As melhorias não o tornam num clássico e este é um daqueles jogos que se tivesse ficado no passado não me surpreendia, no entanto é ótimo que a Daedelic traga para o presente os seus jogos mais antigos. Edna & Harvey: The Breakout pode não ser um clássico, mas se o comparar-mos com os jogos que o inspiraram não é pior do que nenhum deles, mas também não é melhor.

Tiago Roque

Leave A Comment