Análise: Deadly Days

Deadly Days é um jogo que acabou de sair de Early Access na Steam do estúdio alemão pixelsplit e envolve dirigir um grupo de sobreviventes através de um apocalipse zombi. O desenvolvimento durante esse periodo foi substâncial e durante essa fase havia muito que não funcionava mas no seu estado atual é um jogo bastante interessante mas que também não irá agradar a todos os jogadores.

Em Deadly Days exploramos uma cidade habitada por zombies e basicamente temos de equipar os elementos do nosso grupo com itens, definir poderes especiais, escolher missões para completar e encontrar itens dos zombies que vamos derrotando. O jogo nunca evolui para mais do que isto e basicamente é um ciclo que se repete do início ao fim. Passamos o dia a  saquear casas abandonadas, procurando por sobreviventes e matando zombies para tornar o grupo mais forte mas sobreviver dificilmente é possível durante muito tempo.

Precisamos de encontrar pedaços de um mapa para poder completar a missão final, que é algo que não gosto particularmente. Sinceramente este tipo de bloqueios que prolongam artificialmente a longevidade fazem-me alguma confusão e não os considero um bom sistema em nenhum jogo, especialmente quando apenas bloqueiam a parte final do jogo.  À medida que jogamos ganhamos XP e quando perdemos podemos desbloquear melhorias para a próxima tentativa.

Além de um bom equipamento e habilidade, o nosso grupo precisa de comida para sobreviver, um pedaço de comida por sobrevivente a cada noite. O sistema em si é bem utilizado em muitos jogos, mas novamente, neste caso apenas complica algo que deveria ser bastante mais simples. Deadly Days distingue-se da concorrência ao ser essencialmente um jogo de estratégia em ritmo acelerado já que temos de gerir os elementos do nosso grupo com simples cliques para dizer aonde ir. O sistema de recursos é  bem equilibrado, exigindo atenção ao tamanho do grupo de sobreviventes e o stock de alimentos e nem sempre é fácil conseguir equilibrar os dois.

 

Cada missão é uma luta contra o tempo antes que o pôr-do-sol dê força aos inimigos, forçando uma retirada de volta à base. O elemento de base do jogo é bastante básico, com pouco a fazer além de alguma gestão de stock e atualizações passivas e acaba por ser algo que está no jogo mas onde não perdemos muito tempo. Para um jogo que apesar de tudo não é muito complexo é bom ver que o tutorial inicial de Deadly Days oferece o suficiente para dominar tudo o que precisamos de saber no jogo.

Deadly Days não é um jogo muito longo e os criadores extendem a sua longevidade através de algum conteúdo extra para os jogadores que quiserem continuar a jogar como um sistema de pontuação que tenta colocar os jogadores a competir uns contra os outros pelas pontuações mais elevadas. Os desafios em si são bem mais interessantes do que a competição em si e não existem tantos jogadores assim que valha a pena o investimento no jogo mas ainda bem que a opção existe.

Deadly Days não é um jogo memorável mas tem ideias interessantes dentro do género. Se já jogaram tudo o que queriam dentro do género de sobrevivência podem pensar em dar a Deadly Days uma chance.

Tiago Roque

Leave A Comment