Análise: The Battle of Polytopia

The Battle of Polytopia é um jogo de estratégia lançado originalmente para iOS e Android e que chega agora à Steam. Antes de começar a análise é preciso referir que este é um daqueles jogos que apesar de ser gratuito em mobile, quando é lançado para PC custa 12.49€, algo que para mim não faz qualquer sentido e no limite o valor deveria ser mais baixo mas os criadores deverão ter as suas razões.

O jogo consiste em conceitos de estratégia, gestão de um império e batalhas ao estilo Civilization, com uma jogabilidade muito mais simples do que qualquer Civilization já lançado e um visual mais leve e low poly. O jogo ganhou vários prémios e foi no geral muito bem recebido pela crítica quando foi lançado originalmente para mobile e isso é algo que consigo realmente perceber já que a simplicidade da jogabilidade é algo que se adapta muito bem a um ecrã táctil, mas não deixa de funcionar lindamente com um rato e teclado.

Não existe modo história no jogo e cada partida começa com o jogador a escolher a tribo que quer controlar, o número de adversários e o nível de dificuldade. Cada tribo tem um aspeto diferente e começa com uma tecnologia diferente desbloqueada mas a árvore tecnológica é comum. Começamos apenas com a cidade principal da nossa tribo, sendo preciso explorar movendo tropas para encontrar mais aldeias que podemos conquistar, estejam estas dominadas por outro jogador ou não, com a diferença de que se outro jogador estiver a ocupar a cidade teremos de o combater para conquistar a cidade e caso contrário apenas temos de esperar um turno.

Para criar soldados precisamos de recursos e cada cidade cria X recursos, sendo que quanto mais elevado for o nível da cidade mais recursos irá criar. Para aumentar o nível de uma cidade podemos recolher alguns “recursos” perto das cidades ou construindo estruturas como quintas, minas ou portos. Além de utilizarmos estes recursos para criarmos mais soldados também os utilizamos para desbloquear itens da árvore de tecnologias.

A forma como utilizamos os nossos recursos é o derradeiro segredo para o sucesso porque por vezes mais tropas podem ser essenciais para conquistar ou defender, mas esperar um ou dois turnos para desbloquear um novo tipo de unidade pode fazer toda a diferença. O soldado com escudo por exemplo é essencial para defender mas uma nulidade para atacar. Facilmente conseguimos defender uma cidade com uma ou duas unidades deste tipo já que normalmente sofrem apenas 1 ponto de dano e infligem muito mais. As unidades que realmente valem a pena tentar manter e são muito importantes para a “conquista” são as unidades especiais que encontramos por vezes ao conquistar novas cidades. Estas unidades especiais e gigantes infligem muito dano e são muito eficazes tanto no ataque como na defesa.

Se procuram um jogo de estratégia que é tão fácil de jogar como versátil nas estratégias que possibilita The Battle of Polytopia é provavelmente o jogo que estão à procura, mas neste caso não há nada como experimentar e basta irem à loja da Google ou da Apple e experimentarem a versão mobile do jogo. É exatamente igual, mas gratuita.

Tiago Roque

Leave A Comment