Análise: There Is No Game: Wrong Dimension

Muitos jogadores começam a queixar-se das práticas de monetização dos jogos das grandes empresas. Os chamados AAA são normalmente caros, indo normalmente desde 29.99€ até 69.99€, mas depois temos edições especiais que aumentam o preço até mais 20€, 30€ ou até bem mais do que isso. Enquanto que o valor base pode ser facilmente entendido pelos custos de produção cada vez maiores, o custo adicional pode não ser bem assim. Os DLCs começaram por ser uma boa forma de manter o jogo vivo, adicionando conteúdo que não foi pensado para o lançamento original, mas mais cedo que se pensava começou a conter conteúdo que foi pensado bem antes do lançamento do jogo. Lançar um episódio extra para um jogo um ano depois do lançamento original parece-me excelente, mas ter um DLC para zonas e missões extra disponível para compra no dia do lançamento ou ume edição especial que apenas adiciona conteúdo ao jogo parece-me errado. Isto pode parecer mais um artigo de opinião do que uma análise a um jogo, mas estamos a falar de  There Is No Game: Wrong Dimension, um “não jogo” que funciona como sátira ao desenvolvimento moderno de videojogos e a forma como os grandes estúdios tentam obter o máximo de dinheiro possível dos jogadores.

There Is No Game: Wrong Dimension aborda todos os temas que têm sido tema de discussão dentro da indústria e que referi acima. A falta de controlo de qualidade na maioria das lojas que a tinham antes como a eShop da Nintendo ou a Steam, os jogos assumidos “Free to Play” mas onde os jogadores que pagam têm vantagem e os que pagam mais que esses têm ainda mais vantagem, lootboxes que utilizam ideias reconhecidamente viciantes e que fazem do jogo de casino uma atividade regulada, até ao bloqueio de conteúdo a que já tivemos acesso através de DLC. Felizmente o jogo faz toda esta crítica ao mesmo tempo que mantém um sentido de humor fantástico. There Is No Game: Wrong Dimension é genuinamente divertido e se alguma vez acreditaram que o humor é a melhor forma de comentário social então este jogo é para vocês.

A jogabilidade de There Is No Game: Wrong Dimension é bastante simples, ficando-se por pouco mais do que mecânicas de “point and click” e por vezes arrastar um objeto aqui e ali. Tem um bom equilíbrio entre resolução de puzzles e aventura e os próprios puzzles têm um bom equilíbrio de dificuldade, com alguns a serem frustrantemente difíceis e outros bastante acessíveis, mas em ambos os casos gratificantes. Felizmente o jogo oferece um sistema de dicas que ajuda bastante por isso não precisam de ter um guia aberto enquanto jogam o jogo. Sejam o tipo de jogador que adora aventuras point and click ou não há aqui algo para gostarem.

Enquanto que a sátira é realmente forte no jogo, não posso dizer que o jogo seja perfeito. O ritmo não é muito constante e nem sequer tem um fluxo muito lógico. Existem partes do jogo que se arrastam bastante, especialmente na parte final de cada capítulo do jogo para logo de seguida acelerar bastante. Isto faz com que as partes iniciais de cada capítulo andem um pouco rápido demais e depois parece que ficamos eternamente presos no final e algo no meio seria bastante mais agradável. Como referi acima os puzzles são realmente bons e equilibrados, no entanto existem alguns que se baseiam em respostas rápidas que desiquilibram um pouco a dificuldade do jogo e podem não ser do agrado de todos os jogadores.

Visualmente é também um jogo muito agradável e divertido. Utiliza um estilo de pixel art que não o faz parecer banal e saído de uma loja de assets. Algo que lhe dá muita identidade são os bugs deliberados. O jogo faz sátira aos jogos inacabados vendidos por dezenas de euros e ocasionalmente apresenta bugs visuais intencionais onde abundam luzes brilhantes e o ecrã a tremer. Apesar de gostar do pormenor, acho que podem existir alguns jogadores a terem alguns problemas aqui, especialmente se sofrerem de problemas de saúde que sejam intensificados por estes efeitos visuais. Em termos sonoros podem contar com bons efeitos e uma banda sonora agradável mas não memorável.

There Is No Game: Wrong Dimension é um jogo divertido e simples, com apenas alguns momentos mais desafiantes. O ritmo do jogo não é o ideal mas mais do que isso este é um jogo que nos pede um pouco de interesse na industria dos videojogos, não apenas como jogadores casuais mas como verdadeiramente interessados naquilo que se passa em termos até de ética de trabalho e ética de monetização. Por estas razões pode não ser para todos os jogadores, mas é um jogo que pessoalmente recomendo pelos temas que aborda, pelo seu humor e apresentação.

Tiago Roque

Leave A Comment