Análise: Collar X Malice

Collar X Malice é um Otome desenvolvido pela Idea Factory sob a marca Otomate, que se concentra em visual novels e outros géneros semelhantes como o Otome. Lançado originalmente para a PS Vita, o jogo ganhou uma nova vida na Nintendo Switch, aquela que é a sua verdadeira sucessora neste género. A premissa  é que o jogador é Ichika Hoshino, uma policia de um distrito policial em Shinjuku, Japão, que atende a ligações com o seu parceiro como resultado de acontecimentos recentes, conhecidos como eventos do Dia X. Durante a sua rotina diária, ela acorda numa capela ornamentada incapaz de se mover e com uma coleira colocada em volta do seu pescoço que vai envenená-la, a menos que ela faça o que ela diz.

A história fala sobre a corrupção na sociedade japonesa enquanto os vilões, um grupo terrorista que se autointitula Adonis , tentam impor sua própria forma de justiça. Ichika tem a tarefa de seguir as pistas e resolver os mistérios de Adonis na esperança de desvendar a sua motivação e impedir os seus planos. O jogo tem um enorme e interessante enredo, combinando elementos de um thriller com elementos de encontros românticos enquanto Ichika conta a sua própria história e descobre os mistérios de Shinjuku. Os personagens são bastante estereótipos mas no geral eles são agradáveis ​​e os jogadores rapidamente desenvolvem ligações a cada uma delas.

A maior parte da jogabilidade assume a forma de tomada de decisões que avançam a história e que excluem partes da história, o que aumenta o valor de repetição do jogo. Isto se gostarem de descobrir o que se passava caso tivessem escolhido outra coisa. Se no entanto são como eu e gostam de uma história “definitiva” não acrescenta muito em termos de repetição, mas sem dúvida torna a nossa playthrough mais interessante. O outro lado da jogabilidade é o romance. Sem nunca se tornar um jogo de simulação de namoro, Collar X Malice tem uma série de opções de romance para Ichika. O elemento romance não é importante para a história principal, mas selecionar o diálogo ajuda a progredir esses elementos, alterando as estatísticas conforme se avança no jogo. Há muitas dicas no texto para ajudar nas escolhas ao longo do caminho e há uma grande variedade de personagens. Ichika também passa uma quantidade considerável de tempo interagindo com os amigos o que aprofunda bastante todas as personagens do jogo.

O jogo é principalmente baseado em texto e apesar de atualmente facilmente considerar-mos este tipo de conteúdos como jogos, não podemos contar com muito em termos de jogabilidade. Temos decisões que são feitas no ecrã com o uso dos Joy Cons ou no ecrã e a jogabilidade é intercalada com elementos de quicktime events em algumas áreas como acertar num timing de disparo e caso se falhe perdemos o jogo. Também existem elementos de investigação baseados no género de aventura point and click que adicionam um novo elemento no género. Collar X Malice tem alguns problemas na sua história, principalmente no seu ritmo que atrasa demasiado em algumas alturas e acelera muito em outras. A parte de introdução ao jogo é notóriamente longa por exemplo, arrastando-se muito mais do que seria ideal, no entanto é completamente essencial mas seria expetável que fossem encontradas formas de melhorar este aspeto.

Visualmente, Collar X Malice tem fundos bem desenhados e todo o jogo tem uma apresentação impressionante dentro do estilo anime, havendo neste momento até planos para dar ao jogo sua própria série de anime com base na popularidade do jogo. Infelizmente a qualidade dos fundos vem com o custo de existir pouca variedade. É comum vermos vezes sem conta o mesmo fundo e isso pode causar algum cansaço aos jogadores. Há uma grande variedade de músicas na banda sonora  e as músicas usadas combinam bem com o local e a história, ajudando a adicionar uma experiência imersiva durante o jogo. Algo de realmente muito bom na minha opinião é que as vozes do jogo são as originais e não uma dobragem qualquer inglesa.

Collar X Malice pode não ser um jogo novo, mas é uma novidade ótima dentro do género na Switch. As melhorias não foram muitas mas as que foram implementadas são muito bem vindas e fazem de Collar X Malice um dos melhores jogos do género na consola da Nintendo.

Tiago Roque

Leave A Comment