Análise: New Super Lucky’s Tale

Por vezes é difícil interiorizar que jogos como Ratchet & Clank ou Jak and Daxter foram das sagas mais populares da era da PS2. O género Action Platformer foi um dos mais populares dessa era que já está perto de fazer vinte anos. Desde aí o género deixou de ser tão popular apesar de Ratchet & Clank ter continuado a fazer sucesso na PS3 e PS4 e ter já um lançamento anunciado para a PS5. De modo geral, o género é uma evolução do que Super Mario 64 estabeleceu anos antes com o jogador a explorar mundos 3D habitados por inimigos e há procura de itens colecionáveis e segredos. New Super Lucky’s Tale emprega todas as boas ideias que foram aparecendo no género e usa como base Super Lucky’s Tale, um jogo que não foi unanime no seu lançamento à uns 2 anos na Xbox One X mas que vê aqui uma nova vida já que esta não é uma simples versão, mas uma remasterização, algo que pode ser estranho para um jogo tão recente mas,… este é o mercado atual.

Não posso dizer que tenha tido grande contacto com o jogo original mas pelas imagens e vídeos que vi, as atualizações visuais são bastante impressionantes e foi colocado muito esforço nos visuais do jogo, especialmente nos cenários. A iluminação parece ter sido bastante trabalhada também e no geral o jogo parece mais detalhado e mais colorido. Pelas palavras dos criadores, foram também melhoradas as cutscenes e as animações das personagens, além de terem sido adicionadas algumas animações a elementos estáticos do primeiro jogo. Infelizmente é algo que não posso confirmar mas o resultado final é realmente interessante, estando quase ao nível dos jogos que referi acima.

Um aspeto que parece ter sido muito criticado no lançamento original foi a longevidade eNew Super Lucky’s Tale faz o possível para resolver esse problema com novos níveis adicionais para explorar, incluindo algum conteúdo lançado como DLC do lançamento original. Não expande dramaticamente o jogo, mas certamente adiciona mais uma ou duas horas. Esses acréscimos também são integrados à história de maneira bastante inteligente e tornam a experiência mais completa uma vez que pessoalmente não encontrem quebras no ritmo do jogo nem a solução normal de escolher o que queremos jogar no menu principal. Talvez alguém que tenha jogado o jogo original possa saber exatamente o que é novo, o que estava no jogo original e o que veio de um DLC mas eu não consegui notar a diferença.

GNew Super Lucky’s Tale tem uma ambiente incrivelmente agradável, graças aos locais únicos e à comédia das interações entre as personagens. É um jogo colorido que mantem tudo muito level, mesmo o combate. Tudo se encaixa perfeitamente com o estilo geral de arte que adota e os níveis também são muito bem desenhados, fluindo muito bem entre si e com alguma atenção ao detalhe. Não há nenhum nível que realmente revolucione a experiência que já contamos a ter com um jogo do género, mas todos eles usam bons principios de level design. Aquilo que atrapalha um pouco o prazer que temos a jogar New Super Lucky’s Tale é o sentimento de falta de progressão. Enquanto que na maioria dos jogos clássicos do género vamos ganhando habilidades novas que mantêm a jogabilidade fresca, em New Super Lucky’s Tale temos todo o arsenal disponível logo de início.

New Super Lucky’s Tale também é bastante fácil. É um jogo indicado para um público mais jovem mas a grande maioria dos jogadores vai simplesmente acumular vidas até ao boss final. Por incrível que pareça este confronto final tem um pico de dificuldade considerável e o público alvo pode ter alguma dificuldade. Se os jogadores que acumularam vidas têm finalmente um desafio no fim, os jogadores mais novos que chegaram aqui com 3 ou 4 vidas irão certamente sentir-se um pouco frustrados.

New Super Lucky’s Tale pode não ser concorrência para jogos Ratchet & Clank ou Super Mario Odyssey mas é um jogo agradável que irá agradar aos mais novos. Além disso está presente no PC, uma plataforma que não é propriamente rica em lançamentos do género.

Tiago Roque

Leave A Comment