Análise: The Eternal Castle [REMASTERED]

A quantidade de remakes, remasters e requalquercoisa que têm saído no mercado é gigante, ao ponto de termos aqui um Remaster de um jogo que não existiu. Basta fazerem uma pequena busca no google e não vão encontrar nenhuma referência de The Eternal Castle sem ser com o [REMASTERED] à frente e esse pormenor é simplesmente brilhante. É o pormenor perfeito para tornar The Eternal Castle o verdadeiro Neo-Retro que tenta ser, um jogo de plataformas cinemático que lembra muito jogos dos anos 80 e 90, especialmente Prince of Persia e Another World, principalmente este úlitmo.A atenção ao detalhe começa no nome mas extende-se a tudo no jogo. Mal começamos o jogo este começa com um ecrã de lançamento em MS-DOS, falso obviamente mas que dá todo um ar de autenticidade a este falso remaster. Depois de navegar entre pastas e lançar o executável ETERNAL.EXE o jogo começa e a viagem nostálgica que é The Eternal Castle continua. Facilmente conseguimos ver que nada do que está aqui presente poderia ter existido na altura de Another World. A música Synthwave é fenomenal, mas também essa é essencialmente dos anos 2000, mas para dizer a verdade soa mais aos anos 80 dos os próprios anos 80.
Muitos jogos utilizam a nostalgia como principal factor de venda, explorando o sentimento que tínhamos pelo jogo em questão, mas The Eternal Castle como alguns antes dele, é um jogo nostálgico relativamente a uma era dos videojogos, utilizando tudo o que a modernidade trouxe para tornar o jogo ainda melhor do que qualquer coisa que podesse ter saído na época em que se inspira. Isto não quer dizer que os criadores não tenham sido fieis ao aspeto dos jogos da época e até à jogabilidade, apenas que criaram um jogo que imaginamos quando pensamos nos jogos da época, sem normalmente nos lembrar-mos das limitações que os óculos da nostalgia normalmente nos fazem esquecer.
O jogo começa com um pequeno texto, algo que não deveria ter de referir numa análise mas que neste caso é importante já que os textos são sem dúvido o verdadeiro problema do jogo. O texto no início é praticamente ilegível e apesar de  a grande maioria dos textos que encontramos no resto do jogo não sofrer muito do mesmo problema nenhum dos textos do jogo é realmente de leitura confortável. Começamos por escolher entre Adam e Eve, para decidir o sexo da personagem e rapidamente saltamos para o jogo propriamente dito, começando com um pequeno prólogo que funciona como tutorial.

A primeira coisa que notamos é a qualidade das animações de The Eternal Castle. O jogo utiliza um estilo de pixel art que relembra os anos 80 mas as animações estão simplesmente fantásticas, seja mesmo no jogo ou nas cutscenes que têm exatamente o mesmo aspeto. A jogabilidade é também muito versátil, com a nossa personagem a ter a movimentação de um Prince of Persia mas capaz de combate corpo a corpo, contando com combos e posições. Pode rodar para evitar ataques, saltar e equipar duas armas que vão desde armas de luta corpo a corpo e armas de fogo que contam com munições muito limitadas ao longo do jogo. Para equilibrar a jogabilidade existe uma barra de energia que garante que não podemos esquivar ataques ou atacar indefinidamente. O jogo é desafiante até porque nem sempre sabemos o que fazer mas graças a um sistema de checkpoints muito bem colocados raramente perdemos mais dos alguns segundos de jogo.

Assim que passamos a primeira parte do jogo que funciona como tutorial começamos verdadeiramente a aventura. Temos acesso a um mapa com várias localizações à escolha, cada uma com um tema diferente. É realmente impressionante a variedade que os criadores conseguiram colocar no jogo tendo em conta que todo o jogo é apresentado num sistema de cores de dois bits. The Eternal Castle  utiliza todos os truques possíveis para dar vida ao jogo e como já referi a animação é sem dúvida o melhor aspeto do jogo e algo que não consigo mostrar por imagens mas que podem facilmente ver em qualquer vídeo do jogo, apenas posso dizer que são das melhores animações que vi dentro do género. Além do visual soberbo, The Eternal Castle é também um deleite para os ouvidos. Com uma banda sonora completamente composta de músicas synthwave com muito de sci-fi e que podem ouvir aqui. Muito do som de The Eternal Castle é simples e há muito silência que combina na perfeição com a desolação do mundo do jogo, mas quando a música entra é simplesmente fenomenal.

The Eternal Castle [REMASTERED] não é um jogo muito longo, acabando em menos de três horas, sendo um jogo bastante linear mas com muito para conhecer e explorar. Há muitos caminhos escondidos que dependem do sucesso ou insucesso em certas zonas do jogo por isso é recomendável jogar mais do que uma vez. Além disso podem encontrar power-ups permanentes para essas playthroughs futuras e tokens que temos de recolher para descobrir o verdadeiro final do jogo. Se gostam do género então The Eternal Castle [REMASTERED] é uma excelente proposta que mistura na perfeição modernidade e inspiração retro.

Tiago Roque

Leave A Comment