Análise: Fantasy of Expedition

Fantasy of Expedition é mais um roguelike a chegar ao PC e tal como a maioria dos novos lançamentos do género, Fantasy of Expedition vai buscar inspiração a praticamente tudo o que os criadores gostaram até agora e o resultado final é tudo menos ótimo. Fantasy of Expedition coloca o jogador a escolher uma classe para começar uma demanda através dos mundos. Inicialmente, apenas três classes estão disponíveis  mas mais podem ser desbloqueadas ao longo do caminho. O jogo consiste essencialmente em levar a personagem da esquerda para a direita num mapa do deserto, parando para lutar contra inimigos e interagir com alguns objectos pelo caminho.

Além de acumular itens nos confrontos, o jogador recruta aliados  para se juntar ao grupo, adicionando uma abordagem de estratégia ao combate, embora eles controlem apenas a classe escolhida. Este ciclo de jogo acaba por ser demasiado confuso já que mistura demasiados conceitos e esta jogabilidade funciona normalmente quando se mantém simples, algo que Fantasy of Expedition não faz.  As batalhas constituem a maior parte da jogabilidade e maior parte das vezes parecem um jogo de cliques já que o jogador clica com o botão esquerdo para apunhalar grupos de inimigos e preencher seus recursos de ataque, enquanto o clique com o botão direito esgota os recursos para infligir maior dano.

As unidades aliadas podem ser direcionadas para focar seus ataques em uma área ou ser instruídas a mover-se para uma área diferente. Existem caminhos para melhorias para o jogador e para as unidades aliadas. Os jogadores podem aumentar a força das habilidades em templos ou através de itens. As unidades aliadas podem ser combinadas em unidades melhoras quando temos três do mesmo tipo ou através de itens semelhantes a The Binding of Isaac. Infelizmente os itens parecem ter muito impacto no jogo.

Os visuais são medianos e se por um lado, as sprites para cada uma das unidades aliadas, assim como para os bosses são mboas, já que o jogo segue a tendência atual de visuais de 16 bits e são completamente banais. Por outro lado, nenhuma das áreas parece muito distinta, especialmente comparada com outros jogos. Durante o combate é também um jogo altamente confuso, com demasiado a acontecer ao mesmo tempo. O maior defeito do jogo é a longevidade. Para um roguelike demora muito a acabar. Os roguelikes são melhores em pequenas doses e diversificados, mas Fantasy of Expedition pode levar de três a quatro horas com o jogador a poder guardar e isso é demasiado para um jogo deste género. O som do jogo sofre com isto, já que, de outra forma a boa música passava com nota positiva, mas assim fica a parecer repetitiva.

Fantasy of Expedition é um jogo algo ambicioso, mas a história simples, falhas técnicas, visuais desinspirados e jogabilidade confusa que tenta demasiado e concretiza pouco fazem com que não seja um jogo que possa recomendar.

Tiago Roque

Leave A Comment