Análise: Occupy White Walls

Occupy White Walls é um MMO saído do Kickstarter que não tem nada em comum com praticamente nenhum MMO que já tenham jogado antes. Occupy White Walls tem bem mais em comum com experiências como Second Life ou o PlayStation Home do que com World of Warcraft já que é um mundo digital onde os utilizadores criam e exploram arte. O próprio nome do jogo é bastante indicativo daquilo que aqui fazemos, já que o jogo se resume a criar uma galeria de arte e conhecer as galerias de outros utilizadores. O conceito é muito simples, mas é bem mais interessante do que aquilo que eu estava à espera.

Se têm algum tipo de gosto por arte e gostam de visitar museus, especialmente de pintura mas não só, Occupy White Walls é basicamente o mesmo tipo de experiência com essencialmente duas diferenças. A primeira é que as galerias não têm obrigatoriamente de obedecer às leis da física, por isso podem encontrar galerias que se resumem a um sofa no centro do infinito. A outra diferença é que grande parte do atrativo de Occupy White Walls  é a possibilidade de criar-mos a nossa própria galeria de arte e para isso temos centenas e centenas de obras à nossa disposição para exibir.

Por aquilo que descrevi até agora Occupy White Walls  parece mais uma ferramenta do que um jogo, mas há alguns elementos que fazem de Occupy White Walls  100% um jogo e não outra coisa qualquer, como por exemplo termos uma moeda virtual que usamos para comprar arte e construir a nossa galeria. O dinheiro que gastamos podemos depois ganhar ao abrir a galeria ao público e ganhamos dinheiro com cada visita. O jogo encontra-se ainda em Early Access na Steam e apesar de já ter um conteúdo considerável irá certamente crescer no futuro. Aquilo que mais me impressionou foi a comunidade, uma comunidade adulta, culta e genuinamente interessada em arte e que não conseguimos encontrar de forma alguma em outro jogo do mercado.

A jogabilidade não é muito elaborada mas podemos e devemos focarnos na construção. Construir um espaço é surpreendentemente fácil e começamos com um tutorial de abertura que combina recursos de clicar e arrastar e um sistema de menu na barra de atalhos para colocar, rodar e editar tudo, desde portas a objetos interativos. Reunidas em torno das paredes de qualquer grande galeria estão as estrelas da exposição e o jogo conta com obras de arte de uma grande variedade de artistas e assim como em qualquer instalação de arte do mundo real, temos de selecionar quais temos em exibição. O jogo não conta com grandes opções de pesquisa de obras mas baseia-se numa IA que nos vai conhecendo e mostrando obras que nos irão agradar, mas podemos ajudar ao pesquisar por semelhantes por exemplo. Além das obras visuais do jogo, Occupy White Walls conta ainda com uma banda sonora impressionante que é vendida em separado, Occupy White Walls por outro lado é gratuito.

Occupy White Walls tem um espaço muito próprio no mercado. É um jogo diferente de tudo o que já joguei e oferece um espaço de discução cultural a um público exigente e que agora tem representatividade no mundo dos videojogos. Este é um daqueles jogos que não vale a pena dizer para experimentarem e que todos irão gostar. É um jogo que requer um publico específico mas que tem muito para oferecer a quem se identificar com a ideia.

Tiago Roque

Leave A Comment