Análise: Project Cars 3

Os jogadores não têm falta de títulos de corridas, desde jogos dedicados a desportos motorizados específicos, como a série NASCAR Heat  ou Dirt a experiências de mundo aberto como Forza Horizon ou The Crew 2 há algo para todos Project Cars começou com o objectivo de ser um simulador de condução mas a identidade da série no que toca à jogabilidade foi sempre um pouco confusa. É um jogo arcade ou simulação? Esta é uma questão que nem os criadores parecem saber responder exatamente e Project Cars 3 não é um ponto final nessa questão, misturando os dois géneros e criando um jogo que por muito estranho que pareça é bastante divertido, talvez mais até do que muitos jogos puros dos dois géneros. Mas apesar das misturas, Project Cars 3 tem uma ideia sobre aquilo que pretende ser e é um jogo muito mais consitente. A maneira como tudo funciona pode não ser do agrado de todos mas Project Cars 3 torna todos os aspetos da condução divertidos.

Project Cars 3 é acima d etudo uma reinicialização que remove muito do realismo não apenas na condução mas também removendo coisas como sessões de qualificação, uso de combustível, desgaste dos pneus, danos ao veículo e pitstops. Em vez disso Project Cars 3 oferece uma experiência bem mais arcade mas também de “mais fácil digestão” para a maioria dos jogadores. Os jogos anteriores não eram a imagem da perfeição mas forneciam uma riqueza de conteúdo que nos colocava o mais perto da realidade possível numa recriação digital. A primeira coisa que irão notar se jogaram os anteriores é que ao contrário dos jogos anteriores onde um volante era uma vantagem gigante, em Project Cars 3 simplesmente parece algo desnecessário já que o jogo parece ter sido desenhado com um gamepad em mente, seja ele qual for.

A jogabilidade pode não ser tão gratificante como nos jogos anteriores já que podemos fazer coisas avançadas e que nos fazem sentir como pilotos profissionais com uma facilidade gigante, mas também não posso ver isso com maus olhos já que torna o jogo mais divertido para 90% dos jogadores. No resto do jogo as coisas são praticamente as mesmas. Há uma coisa que me irrita um pouco que é a aderência dos carros à estrada. Mesmo com um diluvio na pista parece que tudo pode ser salvo com um pouco de travão extra. Além disso os nossos adversários parecem ter a mesma facilidade já que mesmo com um grande impacto continuam suavemente no seu percurso às voltas na pista.

Visualmente é um jogo bonito sem dúvida em que as configurações ultra podem ser executadas sem esforço ainda numa GTX 1060, mas numa geração mais recente podem contar com resoluções mais altas e suporte para uma série de tecnologias mais recentes. É na jogabilidade que está o ponto central de Project Cars 3. Continua a existir incentivo para os jogadores veteranos já que irão conseguir extrair muito mais do jogo, mas ao mesmo tempo os jogadores casuais podem tirar horas de diversão de um jogo que poderia ser simplesmente frustrante.  É um pouco redutor achar que Project Cars 3 é um mau jogo por optar por uma jogabilidade intermédia entre arcade e simulação. Posso dizer que se pretendem uma experiência completamente arcade talvez seja melhor manterem-se em Project Cars 2 mas acho que deveriam realmente dar uma chance ao terceiro jogo.

Apesar de tudo isto não posso deixar de achar que Project Cars 3 poderia não alienar tanto estes jogadores mais focados na simulação se ele fornecesse aos jogadores a opção de personalizar a experiência de volta às suas origens focadas na simulação. Os sistemas de desgaste de pneus ou gestão de combustível. Além disso também é factual que uma experiência completamente arcade num jogo de pista não é tão divertido como num mundo aberto. Um sistema de progressão funciona num jogo como The Crew mas não funciona tão bem quando estamos limitados num jogo de corridas à volta de uma pista.

Project Cars 3 tenta mudar a fórmula para algo que seja muito próprio e é sem duvida um risco. É talvez demasiado simulação para os jogadores casuais e demasiado arcade para os veteranos e ausência de personalização de muitas opções não ajuda a que os dois possam tornar o jogo mais parecido aquilo que procuram. Mas não posso negar que  Project Cars 3 é mais divertido que ambos os jogos anteriores. 

Tiago Roque

Leave A Comment