Análise: Double Pug Switch

Os gatos podem ser os reis da internet, mas os cães ganharam o afeto dos humanos à muito tempo. A Apriori Digital vai até mais longe e criou todo um jogo dedicado à ideia de que os cães são muito superiores aos gatos e porque não dizer até que os gatos são malignos. Em Double Pug Switch jogamos como Otis, um pug sonolento que está a dormir no laboratório do professor durante o dia quando o seu inimigo, o gato Whiskers, decide abrir um buraco no espaço, talvez por acidente já que basicamente ele vê dois frascos na mesa e decide que eles ficariam melhor no chão, mas todos sabemos que fez de propósito.

Depois de partir os frascos e lançar os dois para uma nova dimensão, o professor consegue entrar em contacto com o nosso pug e explicar o que aconteceu. Como é óbvio tanto o cão como o gato parecem perceber linguagem humana. Tudo isto serve como introdução para um jogo de.. plataformas. Um jogo de plataformas daqueles que nos fazem por vezes arrancar os cabelos. A história continua agora com Whiskers  ou Lord Sker como o maníaco gato é agora conhecido, a dominar essas duas dimensões. Cabe portanto ao nosso pug de salvar as duas dimensões, uma tarefa complicada para um dos cães menos intelgentes do mundo, mas não impossível.

É uma premissa bizarra mas divertida e os donos de cães e de jogos de plataformas irão adorar. Infelizmente Double Pug Switch não é particularmente bom enquanto jogo de plataformas, um elemento que diga-se é importante num jogo. Jogos desafiantes podem ser ótimos, mas Double Pug Switch é controlado inteiramente por dois botões, um para saltar e outro para trocar de dimensão, ou seja não temos propriamente um momento para pensar, tudo é feito por impulso e enquanto que isto pode ser desculpado num jogo mobile, espera-se mais num “verdadeiro jogo”. O jogo é um side-scroller e Otis anda numa velocidade definida, sem parar para nada, o que significa que o controlo do jogador é muito limitado.

Double Pug Switch foi feito para ser difícil mas em vez de um desafio gratificante é simplesmente desagradável e faz com que falhe na premissa básica de um jogo, não é divertido de jogar. Isso não quer dizer que o jogo não tenha mérito. Otis é  uma personagem adorável e no geral o jogo é bastante colorido e agradável. Alguns dos primeiros níveis são razoavelmente bem projetados e algum do desafio que o jogo apresenta resulta, mas não é algo que consiga apresentar de forma consistente e muito do resto é mediocre para ser sincero.

Double Pug Switch não é um jogo divertido, pelo menos na sua jogabilidade, ao contrário de tudo o que a rodeia, que tinha potencial para algo diferente. O resultado é um jogo difícil que não nos recompensa em nada pela paciência necessária.

Tiago Roque

Leave A Comment