Análise: Bezier

Bezier é um shooter espacial e no geral é um jogo muito simples. Jogamos como uma nave espacial no meio da galáxia e conseguimos encontrar parelelismos com jogos como o clássico Asteroids e onde temos simplesmente de destruir tudo. A jogabilidade é incrivelmente viciante, embora o jogo não ofereça muito mais além disso e quem procura uma história ou sistemas muito complexos não irá encontrar aqui. O conceito depende de uma série de fatores, mas o jogo essencialmente controla-se muito bem, graças aos controlos são muito suaves. O jogo é controlado usando os analógicos esquerdo e direito, com o esquerdo a ser usado para o movimento e o direito para disparar. Se não forem muito bons a disparar com este esquema de controlos, também podem disparar automaticamente usando um botão, no entanto, como isso torna o jogo bem mais fácil, temos de controlar o aquecimento da nave e alternar entre os modos de disparo, o que é uma ideia bem implementada, pois a mira automática fornece um pouco de precisão extra.

Visualmente, Bezier está também muito bem conseguido, isto no seu estilo e não num esquema altamente realista. Os gráficos são inspirados em visuais inspirados em vetores dos anos 80 e quem jogou o Geometry Wars irá encontrar também muitas semelhanças. Geometry Wars é aliás o jogo que mais facilmente conseguimos comparar com Bezier e isso é um verdadeiro elogio já que ajogabilidade de Geometry Wars roça a perfeição. Bezier é grande e recheado de cor como uma selva de neon. É um jogo completamente impróprio para quem tem problemas com cores e flashes de côr. O que eleva Bezier acima de apenas visualmente bonito é a sua banda sonora. Bezier oferece uma combinação de música clássica e techno, que serve a um duplo propósito, marcando momentos distintos no decorrer do jogo.

Bezier oferece um nível surpreendente de desafio, e quem gosta de se sentir frustrado tem aqui o seu jogo ideal. Os inimigos irão-se aglomerar e disparar contra o jogador sem qualquer piedade e pedindo que os jogadores tenham reflexos de ninja. Bezier tem combustível suficiente no tanque para durar muito tempo, oferecendo um modo padrão com progressão de nível que oferece um pouco de história, mas qualquer menção à história é simplesmente irrelevante. A ação do jogo não precisa de nenhuma história e aquela que existe é apenas gordura que podia ser retirada. Olhando novamente para aquilo que Geometry Wars fez bem, a realidade é que facilmente Bezier podia resumir-se a um jogo infinito onde o objetivo era pura e simplesmente atingir uma pontuação mais alta de cada vez.

Graças a uma jogabilidade suave, bons controlos e visuais muito coloridos, Bezier é apenas limitado por algumas ideias que tentam oferecer alguma substância ao jogo e que são completamente desnecessárias. Se gostam de jogos como Geometry Wars, dificilmente encontrarão melhor do que Bezier, ou fiquem-se por Geometry Wars, já que continua a ser superior.

Tiago Roque

Leave A Comment