Análise: Shakes on a Plane

O género de party game on vários jogadores trabalham em conjunto contra o tempo para cumprir objetivos tem-se tornado cada vez mais popular, principalmente desde o lançamento de um certo Overcooked. Trazendo-nos uma nova versão dessa experiência, a Huu Games lança Shakes on a Plane em várias plataformas. Shakes on a Plane permite que até quatro jogadores joguem juntos, mas se quiserem jogar sozinhos, tenham em atenção que precisam de alternar entre duass personagens diferentes. Isto faz com que Shakes on a Plane funcione muito mas muito melhor em co-op. Aliás, o jogo a solo é de tal forma frustrante que eu o ignoraria se a ideia for jogar a solo.

Mas existem razões para que o jogo necessita de dois personagens em cada ronda. Primeiro, a divisão de tarefas com base no local torna mais rápido concluir as tarefas em tempo útil e em segundo lugar, é possível que o personagem fique incapacitado e demore alguns segundos a recuperar. Dividir as tarefas entre dois a quatro jogadores torna-se o jogo mais simples. Os níveis posteriores são muito mais desafiantes e precisa-mos realmente de estar pronto para a dificuldade subir rapidamente. As tarefas que temos de gerir são mais diversas do que as dos níveis inicias e no geral o jogo dá ao jogador uma falsa sensação de acessibilidade.

O jogo pode começar com um simples pedido de café e água, mas depois o jogo introduz comida e fornos, depois frutas e batidos e quando damos conta temos mais variáveis a ter em conta do que qualquer indicação do jogo nos levou a crer. Além disso temos ainda coisas como turbulência para nos preocupar. Torna-se essencial ter tudo configurado para podermos chegar lá rapidamente. Como se fossem um chef num restaurante e preparam tudo de manhã para ter tudo à mão quando forem cozinhar, em Shakes on a Plane temos de fazer algo semelhante o mais rápido possível.

Visualmente é um jogo bastante básico, mas o design no estilo cartoon funciona bem nestes jogos, mas a qualidade não deixa de ser de ser simplista. A escolha da música ao longo do jogo está longe de ser memorável e é realmente simples que parece retirada de uma loja de música sem direitos de autor. Como cada nível tem um sistema de classificação, há sempre espaço para melhorias em cada nível e se o jogo cativar a vossa atenção irão voltar a cada um para tentarem uma classificação melhor. Embora ter uma segunda personagem para trocar ser uma ideia que acaba por crescer com o tempo, os criadores não deveriam tornar isso uma opção obrigatória e este acaba por ser o principal problema do jogo e impede-o de ser mais acessível.

Shakes on a Plane é um título divertido, principalmente para jogar em co-op, mas não atinge nem de longe nem de perto os patamares de um jogo como Overcooked.

Tiago Roque

Leave A Comment