Análise: ENDER LILIES: Quietus of the Knights

ENDER LILIES: Quietus of the Knights é um jogo de ação sidescroll, essencialmente um Metroidvania, onde controlamos uma menina chamada Lily, que foi acordada por um cavaleiro de forma etérea e que deseja servir a Lily. Enquanto exploramnos a terra e lê-mos as várias notas deixadas pelos habitantes locais, aprendemos sobre a Sacerdotisa Branca, uma mulher reverenciada em todo o país como um símbolo de esperança contra a calamidade. Não muito daí descobrimos que a terra está afligida por uma maldição que provoca chuva sem fim e na qual qualquer pessoa que por acaso toque é corrompido pelo que é conhecido como a Praga, o que as transforma em monstruosidades. Lily é imune aos efeitos da maldição e tenta livrar o mundo desta. O jogo tem um tom bastante sombrio, uma decisão intencional que melhora substancialmente a história. A terra é amaldiçoada, recheada de cadáveres e dos infelizes que foram infectados pela Praga, que atacam qualquer um que se aproxime deles. Sempre que derrotamos um boss temos acesso a uma sequência de flashback que conseguem até fazer o jogador sentir-se mal por vencer o combate. Lily é uma protagonista silenciosa, mas as suas expressões ajudam muito a estabelecer o seu caráter. A história em si não faz muito para ser interessante, mas o ambiente e o mundo do jogo são verdadeiramente interessantes, desde que tenham interesse em o conhecer.

O mapa de ENDER LILIES: Quietus of the Knightss é baseado em grelha com uma infinidade de opções e um sistema de viagem rápida. O combate define-se num ataque padrão que convoca o cavaleiro a atacar com a sua espada, mas temos acesso a mais opções ofensivas. Derrotar os bosses por outro lado funciona quase como um Pokémon já que os transforma em guerreiros etéreos que podemos invocar. Esses novos guerreiros oferecem uma variedade de ataques diversificando muito o combate. O que os torna ainda melhores é o sistema de personalização, já que podemos definir 6 ataques diferentes para alternar em combate. Embora a maioria dos ataques possa ter apenas um número limitado de usos, descansar num ponto de salvamento restaura os seus usos. Ao contrário de outros jogos que usam um sistema semelhante, ENDER LILIES: Quietus of the Knights premeia a experimentação ao recarregar os ataques com alguma facilidade.

Conforme o jogo avança desbloqueamos mais opções de movimento, como um salto duplo e a capacidade de nadar debaixo de água. Conforme avançamos para novas áreas, as coisas complicam-se já que Lily não é propriamente uma personagem resistente. As suas habilidades podem ser poderosas, mas um par de ataques são o suficiente para a tombar e dominar a arte de esquivar os ataques é a chave para a sobrevivência. Apesar disso, Lily pode rezar, o que lhe devolve um pouco de sua saúde de volta, mas este é um recurso limitado que temos de gerir com cuidado. Se isso não for suficiente temos alguns itens que melhoram várias estatísticas. Cada zona é codificada por cores com base em se há algum item para encontrar nessa zona ou não, o que essencialmente ajuda a evitar os retrocessos sem sentido. A única coisa que realmente atrapalha a jogabilidade é a câmera. Às vezes parece um pouco ampliado demais, o que provoca o efeito indesejado de termos de saltar sem saber onde vamos aterrar.

O aspecto mais marcante do jogo é sem duvida a sua apresentação, que nos dá um ambiente muito triste com cores suaves e ambientes abandonados. Os ambientes são lindos e bastante detalhados. Algo que ainda melhora isso é a quantidade de variedade dos locais. Há variedade suficiente para manter a exploração interessante e envolvente. A forte apresentação visual também se aplica aos designs das personagens que são lindamente desenhados. Infelizmente não posso dizer que a sua animação esteja ao mesmo nível. Por mais bonito que seja o jogo, ele tem alguns problemas nos seus cenários, já que é por vezes difícil distinguir as plataformas. O som por outro lado é bastante banal. Não há faixas que se destaquem e sejam memoráveis e algumas áreas do jogo parecem não ter som sequer.

ENDER LILIES: Quietus of the Knights é um bom Metroidvania, com muitos elementos interessantes e muito poucas falhas. É um jogo que irá certamente agradar a todos os fãs do género graças à sua jogabilidade, atmosfera e visuais.

Tiago Roque

Leave A Comment