Antevisão: Doors of Insanity

Doors of Insanity é um jogo de cartas com uma arte simplesmente soberba que vai buscar inspiração aos desenhos animados. Todo o mundo parece bastante vivo com os inimigos a moverem-se com a banda sonora. O jogador é recompensado a intervalos regulares, lentamente aumentando a sua saúde e dano, dando ao seu baralho de cartas habilidades novas e interessantes. O jogo está constantemente a avanaçar e e as batalhas que oferece são bastante interessantes, muito condensadas mas nunca ciclo de repetição que não se torna muito repetitivo com o tempo.

Doors of Insanity encontra-se neste momento ainda em Acesso Antecipado e segundo a OneShark vererá aí ficar durante seis meses, com o plano do estúdio a ser usar esse tempo para ajustar as cartas e powerups com base no feedback dos jogadores, mas espero que o tempo sirva também para melhorar o jogo no geral e não se fique por questões de equilíbrio. Apesar da arte do jogo ser já muito interessante, a realidade é que algumas das cartas precisam de algum trabalho e há algumas cartas menos conseguidas que podem ser refeitas. O jogo resume-se a corridas, como um roguelite e enquanto que o primeiro nível é realmente simples independentemente das cartas que se leve, o segundo é um verdadeiro pico na dificuldade com o inimigo a infligir muito mais danos e como resultado a maior parte da nossa mana é gasta para aumentar a absorção desses danos. É no entanto aqui que o jogo fica interessante, com a personagem a sobir de nível, e com esses mesmos níveis a serem persistentes após a morte. Antes da próxima tentativa podemos fazer melhorias que ajudam a tornar o jogo progressivamente mais acessível.

O equilíbrio do jogo é o principal foco dos criadores nesta fase e em parte percebo porque o jogo está ainda um pouco desequilibrado. Mesmo com um bom conjunto de itens e uma rotação de cartas o jogo torna-se muito complicado nas fases mais avançadas. Como parte roguelite o jogo tem a sua parte de sorte envolvida, mas há trabalho que pode ser feito aqui. Visualmente falta também muito polimento. O toque visual distinto do jogo e que referi acima como um ponto muito positivo é realmente bom mas não transparece no menu ou no criador da nossa personagem. Além disso e como referi por cada bom trabalho nas cartas há um menos conseguido e há zonas que parecem um pouco amadoras em comparação com o ambiente e o design dos inimigos.

Mesmo com estas falhas é ainda difícil não recomendar Doors of Insanity. É um jogo divertido com uma identidade visual única e em que as suas falhas podem facilmente ser resolvidas. O jogo tem todo o potencial para se tornar excelente e têm tudo a ganhar em saltar a bordo agora.

Tiago Roque

Leave A Comment