Análise: Nioh Collection

Com um ADN muito parecido ao da série Souls, Nioh é um excelente jogo mas tal como um jogo da série Souls também é extremamente difícil. Nioh ganhou uma boa dose de fãs e conquistou também a crítica, especialmente no lançamento original para PS4 e o sucesso resultou no lançamento de uma sequela, também ela bem recebida. Agora, ambos os jogos chegam à PS5, com uma nova cara mas essencialmente o mesmo jogo, mas num pacote que duplica o conteúdo que recebemos por essencialmente o mesmo valor que é habitual pagar.

Os jogos da série Nioh são deliberadamente difíceis, onde o jogador luta contra todos os tipos de inimigos e à medida que avança através de cada nível, as experiências oferecem grande variedade de customização e variedade de saque. Morrer torna-se habitual e não há muito que possamos fazer além de nos tornar melhores no jogo. Existem itens e habilidades e tudo isso, mas aquilo que realmente faz a diferença entre o sucesso e fracasso é a nossa habilidade de jogar, tanto o Nioh original como a sua sequela.

Esta é também uma excelente altura para saltar a bordo do universo Nioh, já que o pacote que chega à PlayStation 5 inclui versões remasterizadas de Nioh e Nioh 2, além dos seus DLCs e complementos associados. Embora seja difícil recomendar voltar ao Nioh original quando Nioh 2 é essencialmente uma versão muito mais refinada dessa experiência, quem não jogou o original tem aqui uma oportunidade de ouro e quando somamos o tempo de jogo do dois jogos da série então podemos ter aqui centenas de horas. Os títulos remasterizados incluídos na coleção Nioh apresentam gráficos 4K e até 120fps, mas se a vossa televisão ainda não suportar tanta coisa, fiquem descansados que ambos os jogos funcionam incrivelmente bem e têm uma aparência fantástica, independentemente da configuração disponível.

Jogar a 60 FPS é importante para jogos deste género, especialmente este Nioh, algo que já referi na análise original ao Nioh 2. Avaliar da melhor forma a situação antes de atacar, bloquear ou utilizar o poder do ki são decisões que temos que tomar o mais rápido possível e muitas vezes não temos tempo para pensar, apenas reagir. Os tempos de carregamento rápidos possiilitados pelo tantásco SSD da PlayStation 5 são outro benefício fantástico e tornam toda a experiência muito mais agradável. Voltar aos jogos Nioh depois de jogar os dois separadamente no lançamento é uma tarefa interessante e embora os jogos da série Nioh sejam semelhantes à série Souls, foram feitas algumas escolhas de design que os tornam muito diferentes. O mundo de Nioh é apesar de tudo bem mais cruel e procura efeitvamente tornar a nossa experiência o mais desagradável possível. Se procuram realmente um jogo que se esforça em estragar o vosso dia, Nioh é a escolha certa. É sem dúvida um jogo para um tipo muito específico de jogadores.

Não há muito que me falte dizer sobre o Nioh original e a sua sequela. Podem ler as duas análises aqui no ComboCaster. Aquilo que é preciso destacar aqui é o trabalho feito em melhorar os dois jogos para uma nova geração e o facto de termos dois jogos no mesmo pacote, o que garante que recebemos muito valor pelo dinheiro e neste caso muito conteúdo mesmo.

Tiago Roque

Leave A Comment