Análise: Dude, Where Is My Beer?

O mundo das cervejas artesanais é gigante e os criadores de Dude, Where Is My Beer? são certamente fãs de todas aquelas cervejas com nomes estranhos que vemos à venda. Dude, Where Is My Beer? é uma aventura clássica point-and-click que nos leva pelos pubs da Noruega e aquilo que tem de bom em termos visuais acaba por não compensar aquilo que tem de mau em termos de história.

A história de Dude, Where Is My Beer? tem a sua piada, contando a história de como um mestre cervejeiro decidiu que só aquelas estranhas e exóticas cervejas eram dignas de vender e parece que as pessoas adoptaram esse pensamento. O jogador tem que explorar os bares da zona a tentar perceber o que se passa e quem é realmente este mestre cervejeiro.

O mestre cervejeiro tem vencido a competição anual da cervejaria, em que o prémio é poder decidir todas as cervejas a serem vendidas no resto da temporada e se queremos algo mais normal para beber temos que explorar. É uma premissa simples e mesmo com essa simplicidade o jogo não parece saber exatamente o que fazer. Mesmo no final o jogo parece mais interessado em criar um segundo jogo do que dar um final interessante à história. Pelo menos o nosso protagonista é divertido. Ele simplesmente quer beber uma cerveja e parece que vai dar mais trabalho que seria de esperar.

Dude, Where Is My Beer? tem pelo menos diálogo divertido. Não é hilariante, mas é divertido e existem muitas oportunidades de conversar com os habitantes e clientes locais usando o sistema de diálogo simples do jogo. Uma lista de opções de resposta aparece na parte inferior do ecrã, e as informações obtidas ajudam-nos na nossa busca de encontrar uma cerveja pilsner normal. Existem alguns personagens excêntricos que se destacam, mas infelizmente o jogo não tem vozes, perdendo-se uma grande oportunidade de tornar o jogo mais engraçado.

Em termos de jogabilidade Dude, Where Is My Beer? é uma aventura point-and-click bastante tradicional, com ações em forma de verbos que podemos ativar nos vários objetos ou pessoas do jogo. Clicar com o botão direito limpa a escolha de comando e um simples clique com o botão esquerdo move o protagonista pelo ecrã. Os itens que podemos manter podem ser encontrados no canto inferior direito. Infelizmente não há grande forma de saber com o que é que já interagimos e alguns objetos podem ser facilmente esquecidos. Gravar é também manual, por isso convém que não se esqueçam, mas se estiverem realmente a gostar do jogo também podem terminá-lo num dia.

Algo que é original aqui é que existem algumas mecânicas relacionadas com a bebida. Quanto mais a personagem beber mais um medidor de “bebedeira” vai avançando.. A nossa personagem é um pouco tímida e apenas pode falar com algumas personagens se estiver um pouco tocada com o álcool, mas temos de ter cuidado para não deixar a barra enxer ou ficamos demasiado bebados. A barra eventualmente baixa, mas é algo que temos de ter em atenção. É uma ideia realmente interessante, temos essencialmente que pensar constantemente em o “quão bebados temos de estar” para fazer uma certa ação no jogo. Os puzzles são desafiantes, mas existe um sistema de dicas que nos ajuda a encontrar a solução, pelo menos se considerar que o puzzle é difícil.

Visualmente o jogo utiliza um estilo cartoon que realmente lhe fica bem, com a nossa personagem a ser muito bem animada. As cores que o jogo utiliza dão-lhe um aspeto diferente no bom sentido. Não existem cutscenes e praticamente toda a ação do jogo vem de pequenas animações com os visuais do jogo e dos diálogos. Algumas das atividades de fundo ajudam a dar um pouco mais de vida ao mundo, mas o mundo do jogo nunca parece exatamente vivo. O audio do jogo também é bom, pelo menos quando esquecemos que não existem vozes. O jogo usa uma banda sonora instrumental que fica muito bem no ambiente do jogo.

Apesar do bom aspeto e algumas mecânicas interessantes, a história de Dude, Where Is My Beer? acaba por ser o principal problema. Se são fãs do género e da cultura em que o jogo se enquadra talvez possam retirar algo mais do jogo, mas para a grande maioria é um jogo interessante, mas que fica aquém do esperado e abaixo da concorrência.

Tiago Roque

Leave A Comment